segunda-feira, 4 de maio de 2009

Tabu: Dança do ventre é considerada vulgar?

Que dançarina já não passou pela situação desagradável ao ser perguntada de forma maliciosa a respeito de sua dança, dos movimentos, da sua roupa? Ou ser questionada se seu marido, namorado, ficante ou afim aprovava tal prática? Que dançarina já não foi sabatinada para fazer este ou aquele movimento, sob olhares mais maldosos do que curiosos? É verdade, ainda há muita gente que não vê a dança do ventre como um estilo de dança, que vê dançarinas como se fossem odaliscas!

Mas será que essa depreciação não poderia ser um pouco culpa de suas próprias seguidoras? Quantas mulheres não vemos se colocando como objetos sexuais, deturpando toda a luta pela emancipação feminina, pela conquista de direitos às mulheres, trazendo a famigerada igualdade perante os homens para o campo puramente sexual, e não o social? Quantas mulheres literalmente se expõem como produtos de consumo, e pouco se importam em ser encaradas sem respeito?

Tais pensamentos também invadem a dança do ventre, uma área majoritariamente composta por mulheres, que para se promover lançam um apelo maior ao erotismo do que a cultura, usando seus estilos, corpos e principalmente figurinos para atrair um público mais interessado nas curvas das bailarinas do que na expressão da música, na sua interpretação.

E não sou só eu quem pensa que isso não deveria acontecer, vemos em blogs, em comunidades do orkut, em diversos relatos de bailarinas, a insatisfação de termos de ser constantemente comparadas a quem desvaloriza a própria arte, e como mesmo li pelas minhas andanças no Google: "Bailarina que sabe dançar não precisa de artifícios para chamar a atenção!".

Fifi Abdo em um momento "seduction"

O próprio figurino da dança do ventre é sensual; a arte da dança do ventre é a busca desta sensualidade nata feminina, mas não a sua vulgarização! Quando dançamos para um público, não estamos lá para satisfazer nenhuma fantasia sexual, estamos lá divulgando a cultura árabe, a nossa paixão e dedicação por ela, o quanto é frustrante não sermos compreendidas!

E meninas, MUITO CUIDADO: a vulgarização da dança do ventre não é um fenômeno do Ocidente, muito pelo contrário! Ela é muito mais valorizada aqui, enquanto no Oriente Médio, no Egito, o que mais vemos são bailarinas sendo tratadas da mesma forma que prostitutas. Infelizmente eu conheço a história muito triste de uma dançarina que foi ao Egito para promover sua carreira, e sendo convidada para dançar numa festa privada não percebeu a armadilha: ela tinha sido contratada como prostituta sem saber, e o que aconteceu com ela é repugnante demais para ser exposto aqui... Ela nunca mais voltou a dançar...

Nós, antes de qualquer pessoa, devemos valorizar a nossa dança! Sim, dança do ventre é uma arte da sedução, sim nos tornamos mais autoconfiantes, mais sensuais, podemos usá-la com nosso amado para encantá-lo, melhoramos nossa autoestima, modela nosso corpo, modela nossa alma, sim, sim, sim!!! Agora como profissionais, nós devemos usar esta técnica como uma arte, devemos perceber que nada ganhamos ao nos expor como "musas sexuais" ao invés de brilharmos como dançarinas técnicas (ainda que poucos olharem possam apreciar isso).

4 comentários:

Hanna Aisha disse...

Esse tipo de bailarina sempre vai existir. Cabe a quem se incomoda com isso, procurar divulgar a cultura e a dança da forma correta, através de shows de qualidade, por exemplo.

Celia Daniele disse...

Desde que elas não sejam a maioria, pra mim tá ótimo!

Anônimo disse...

Enquanto nós mulheres acharmos que ser sensual e servir o homem em termos sexuais é a essência da feminilidade,nunca progrediremos...podem dizer oq ue quiserem,mas a mercantilização dos nosso corpos e as d[úvidas que muitos tem sobre nossa competência nas áreas de produção de conhecimento,é aprova deste machismo glamourizados que vcs defendem.

Prisc disse...

Infelizmente vulgaridade existe em todo lugar.

Related Posts with Thumbnails