domingo, 31 de maio de 2009

Tradução: El Leila Doub

Tradução da música El Leila Doub do Mustafa Amar
OBS: A tradução literal de "El Leila Doub" seria "A noite derretida" (...), sendo que este "derretido" pode se traduzido por "apaixonado", "enamorado", como no popular:"ele está derretido por você". Pois é, em árabe as pessoas não se apaixonam, elas se derretem!


El Leila Doub - A noite dos apaixonados

A noite dos apaixonados
É preciso que aceitemos o que está escrito para esta noite,
A noite dos apaixonados
Nesta noite nenhum coração poderá ferir outro coração

Você me fez dormir, minha querida
E então sonhei com você e me curei
Eu segurei suas mãos
E jurei que a saudade não voltaria

E a noite foi feita para os amantes
Não há fogo ou desencanto ou saudade para esta noite
Fique perto de mim, minha querida

E esta noite é a noite dos apaixonados
Nela não há fogo ou desencanto ou saudade, nem amargura
O meu coração não passará esta noite sentindo sua falta

Você me fez dormir
Então sonhei com você e me curei
Junte suas mãos às minhas
Juro que não me arrependerei

A noite dos apaixonados
É preciso que aceitemos o que está escrito para esta noite,
A noite dos apaixonados
Nesta noite nenhum coração poderá ferir outro coração

Oh, a noite! Esta noite nos promete.
Venha então com alegria e que a tristeza esteja bem longe
Não haveria outra forma, pois encontrei o meu amor

Oh, a noite! A noite nos promete.
Venha com alegria!
Não perderei mais nenhuma noite da minha vida sem a paixão da minha vida.

Você me fez dormir
Então sonhei com você e me curei
Junte suas mãos às minhas
Juro que não me arrependerei

A noite dos apaixonados
É preciso que aceitemos o que está escrito para esta noite,
A noite dos apaixonados
Nesta noite nenhum coração poderá ferir outro coração

Você me fez dormir, minha querida
E então sonhei com você e me curei
Eu segurei suas mãos
E jurei que a saudade não voltaria

Letra:

2il leila doub
w lazim nirda bil maktub 2il leila diya
2il leila doub
w ma fish 2uloub tijrah 2oulob 2il leila diya (2x)

ghamadte 3eini (ya 3eini)
w hlimt bi
u7sek twadine (ya 3eini)
2idi fi 2ide
w hlifet 3ano ya shou2 ma ha doub

2il leila doub
w lazim nirda bil maktub 2il leila diya
2il leila doub
w ma fish 2uloub tijrah 2oulob 2il leila diya

2il lela lela bil 3usha2a
wala nar wala hira wala 2ashwa2
2il lela lela lil 3usha2a
2arab ya habibi leya
2il lela lela bil 3usha2a
wala nar wala hira wala 2ashwa2
wala mara ya albi ??? mishta2 men ba3ed el lela lela

ghamadte 3eini (ya 3eini)
w hlimt bi
u7sek twadine (ya 3eini)
2idi fi 2ide
w hlifet 3ano ya shou2 ma ha doub

2il leila doub
w lazim nirda bil maktub 2il leila diya
2il leila doub
w ma fish 2uloub tijrah 2oulob 2il leila diya

2il lela lela la ba3dina
w ta3ali ya farha l 3andina
w ba3ed ia hozme men
hena ma khalasna el harire
2il lela lela la ba3dina
w ta3ali ya farha l 3andina
wala dayatila t3omre la
min el gharam harire

ghamadte 3eini (ya 3eini)
w hlimt bi
u7sek twadine (ya 3eini)
2idi fi 2ide
w hlifet 3ano ya shou2 ma ha doub

2il leila doub
w lazim nirda bil maktub 2il leila diyya
2il leila doub
w ma fish 2uloub tijrah 2oulob 2il leila diya

ghamadte 3eini (ya 3eini)
w hlimt bi
u7sek twadine (ya 3eini)
2idi fi 2ide
w hlifet 3ano ya shou2 ma ha doub

sábado, 30 de maio de 2009

Dana Halabi

Dana Halabi é uma das mais jovens cantoras de sucesso no Oriente Médio. Nascida em 18 de Janeiro de 1987, é natural do Kuwait e se mudou para Trípoli no Líbano ainda na infância.

Sua carreira começou cedo: aos 14 anos começou a trabalhar como modelo, estampando sua beleza em diversas revistas libanesas e de todo mundo árabe, sempre com bastante sensualidade. Nos anos seguintes, passou a participar de concursos de beleza, ganhando em 2003 o título de Miss Olhos Mágicos e em 2004 o de Miss Dança Oriental.

Aos 19 anos, Dana decidiu ingressar na carreira musical, como tantas outras modelos libanesas. Seu primeiro single foi Bos Alaya (tradução já postada aqui: Olhe para mim), o qual iniciou sua fama como uma cantora bastante "moderna" pros padrões do Oriente Médio. Por mais que em seus clipes Dana explore o máximo possível a imagem de sex symbol, ela é bem esquentadinha quando alguém tenta mexer com ela, como podemos conferir no vídeo abaixo (Mesmo pra quem não entende árabe, lá no minuto 5:30 dá para ter uma ideia que ela não tolera esse tipo de coisa - o cara diz que fica beijando as fotos dela e ela joga água na cara dele... Bem, também o vídeo é uma "pegadinha" e ela já tava bem irritada!).

Após lançar seu primeiro single em 2005, Dana lançou seu primeiro álbum em 2007: Enta Meen (Quem é você), oficialmente se lançando como cantora no Líbano. Desde então ela tem feito muito sucesso, especialmente na internet com os "ocidentais", com seus videoclipes provocantes e sua beleza deslumbrante.

Melinda James

Melinda James é uma dançarina de grande destaque no Rio de Janeiro. Desde 2006 possui sua renomada escola de dança do ventre, o "Espaço Mosaico", criado em parceria com Luciana Midlej e Adriana Almeida (e onde se vende roupas lindíssimas!), referência em qualidade para várias bailarinas.

Melinda iniciou seus estudos em Dança do Ventre em 1996, se identificando com esta arte após percorrer vários outros estilos de dança. Desde então, tem se dedicado exclusivamente à Dança do Ventre construindo uma carreira de destaque no Rio de Janeiro. Em 2002, ela adquiriu o padrão de qualidade Khan El Khalili.

Além do "Espaço Mosaico", Melinda criou o grupo artístico Al Qamar em 2004, composto somente por bailarinas de dança do ventre profissionais, tendo no mesmo ano trabalhado no Clube Sírio & Libanês na área artística, promovendo a aproximação da colônia árabe carioca com os amantes de sua cultura. Ainda em 2004, Melinda se tornou uma das organizadores do Festival Lumina, renomeando-o como Festival Lumina-Qamar.

Atualmente Melinda é professora, bailarina e coreógrafa de Dança do Ventre e Folclore Árabe, realizando intercâmbios culturais de danças árabes em todo o mundo.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Tradução: Inshallah

Tradução da música Inshallah da Latifa.


Inshallah - Deus queira!

Deus queira que você volte para mim
Deus queira que seu coração seja meu
Quanto tempo, me diga, você pode esperar longe de mim?
Sou sua amada?
Você se põe tão orgulhoso, como um ganster (assassino, diz a letra. Não é estranho?)
Mas nosso amor será mais forte
Enquanto você vai embora sem olhar para trás

Você voltará para a luz?
Deus queira, esta é minha oração
Quem mais lhe entregaria o coração e a alma?
Sem cobrar nada...
Quem saberá de cor todos os seus desejos e os dirá na sua frente até o menos apropriado?
Oh, se lembre das suas promessas, dos seus juramentos, dos seus sentimentos
Mantenha em sua memória o doce perfume da nossa história.

Letra:

(Inshalla Inshalla) - 7abiby liya
(Inshalla Inshalla) - Terjaa3 liya
(Inshalla Inshalla) - 7abiby liya
(Inshalla Inshalla) - Terjaa3 liya
(Inshalla Inshalla) - 7abiby liya

Ar7al wasaafer '3eer el aw6aan
wo for7ak wo de ma3ak ana el isnaan
wa7di wa7di... ana wa7di
akabr wo el 3alam 6oofaar

Ya rabbi ya... m3abood
Raj3aali el '3aaly li l dari3ood
Ra'3lam el 3adhaab w el asiya
ad3ay el afraa7 leek wo liya

(Inshalla Inshalla) - Terjaa3 liya
(Inshalla Inshalla) - 7abiby liya
(Inshalla Inshalla) - Terjaa3 liya
(Inshalla Inshalla) - 7abiby liya

Ah 3aleya aah m el ayam
Rasmetny da ma3a balu7at el alam
3ainy 3ainy... ah ya 3ainy
Sahrana ana wo '3iri naam

Ya rabbi ya... m3abood
Raj3aali el '3aaly li l dari3ood
Ra'3lam el 3adhaab w el asiya
ad3ay el afraa7 leek wo liya

(Inshalla Inshalla) - Terjaa3 liya
(Inshalla Inshalla) - 7abiby liya
(Inshalla Inshalla) - Terjaa3 liya
(Inshalla Inshalla) - 7abiby liya
...
INSHALLA! (Inshalla) - Terjaa3 liya
(Inshalla Inshalla) - 7abiby liya
(Inshalla Inshalla) - Terjaa3 liya
(Inshalla Inshalla) - 7abiby liya
(Inshalla Inshalla) - Terjaa3 liya
(Inshalla Inshalla) - 7abiby liya
(Inshalla Inshalla) - Terjaa3 liya
(Inshalla Inshalla) - 7abiby liya

Tradução: Maba'atshi Aayzak

Tradução da música Maba'atshi Aayzak da Hayat.


Maba'atshi Aayzak - Eu não te quero mais

Eu, eu, eu... Não te amo mais
Eu, eu, eu... Não te quero mais
Eu não vou mais desperdiçar meu tempo e minha dedicação a toda esta paixão e toda esta conversa
A cada dia você está num lugar diferente, e eu não posso viver em diferentes lugares (atrás de você)
Eu quero dizer que a partir de hoje você já pode considerar que eu te esqueci

Meu coração não estava em suas mãos e você quem foi cruel ao me mostrar isso
Eu te amei, e isso não era recíproco
Por que meu amor não significava nada para seu coração?
Por que você ainda volta pedindo satisfação?
Não, não... Não perderei mais um segundo, mais um segundo com você

Qual era sua intenção?
E por que este amor?
Meu coração permaneceu sozinho enquanto estive ao seu lado
O que há de novo com você?
Saia já daqui
Você nunca foi sensível como está demonstrando
Onde estava você, oh, você que me esquecia quando... Quando eu te adorava...

Letra (Não há transliteração disponível, sorry!):

انا انا .. انا مبقتش بهواك
انا انا .. انا مبقتش عايزاك
انا على الغرام دة وع الكلام دة مليش طولت بال
كل ويوم فى حاله وانا استحالة اعيش بميت حال
يعنى تقدر من النهاردة تعتبرني نسياك

مش كان بايديك قلبىوانت اللى قسيت لما شوفتنى حبيت وبقيت بتتال
كان ليه كان ليه قلبك يهون عليه حبى دلوقتى ليه راجع بتسأل
لا لا مش هضيع ثانية .. ثانية واحدة وياك

ايه قصدك ايه قوللى والحب دة ليه يللى كان قلبى وحيد وانا عايشة جمبك
ايه الجديد عندك خليك بعيد يللى بقيت رقيق كده مرة واحده
كنت فين يا ناسي لما .. لما كنت عشقاك

Dança do Ventre em Casa: Revendo a aula anterior

Vamos ao segundo passo de uma "aula em casa" de dança do ventre.

Se você já começou a praticar a dança e portanto, essa não é a sua primeira sessão de dança do ventre em casa, faça o aquecimento e reveja o que aprendeu até então. Aqui vão umas dicas de como organizar essa "revisão":

* Coloque uma música de dança do ventre para tocar e faça sistematicamente todos os movimentos de que você se lembrar. Use uma ou duas músicas para isso, com uma duração de 3 a 5 minutos cada. Deixe tocar a música inteira, repetindo cada movimento individual várias vezes tentando aplicar a técnica corretamente. Lembre-se também de manter a postura sempre ereta. Se você está com tempo de sobra, pode ir treinando mais e mais, repetindo as músicas. Lembre-se de que para tudo é preciso calma, especialmente quando se tem objetivos definidos. Para o aprendizado então, paciência é fundamental. Então não precisa se afobar, curta cada momento de sua aula em casa.

* Agora tente improvisar os movimentos fazendo sua própria dança do ventre. Coloque uma música legal para tocar, de 3 a 5 minutos, e concentre-se no que você está ouvindo na música: preste atenção a cada som, aos detalhes. Use os movimentos que você conhece para interpretá-los. Se a música é lenta e sensual, faça ondulações, mexa os quadris com movimentos laterais ou circulares, etc. Se a música é agitada, dance fazendo o quadril subir e descer, faça shimmies, etc.

* Se você costumava revisar suas aulas anteriores, mas fazia isso sem se organizar, é possível que tenha esquecido de como realizar alguns movimentos que já conhece. Então, se você usa um vídeo para aprender a dançar, por exemplo, ao revê-lo, enquanto este ensina a fazer um movimento que você já conhece, tente dançar junto com ele. Escute com atenção ao que o vídeo ensina e preste bastante atenção à técnica. Você está fazendo da maneira correta? Se está, pode melhorar? Pode ganhar uma certa amplitude de movimento forçando e exercitando mais seus músculos? Você perdeu alguma informação importante quando assistiu ao vídeo anteriormente? Tente pensar em tudo isso em sua revisão. São esses questionamentos - e suas respostas - que farão com que você possa aprender mais com o que já aprendeu antes. Tenho certeza de que depois de começar a rever suas aulas anteriores, a diferença poderá ser notada em pouquíssimo tempo!


No próximo post sobre Dança do Ventre em Casa, falarei finalmente sobre a aula em si, como se concentrar e aprender novos passos da melhor maneira. Aguardem.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Instrumentos Musicais: Snuj

Os snujs (também chamados de címbalos, zills, finger e sagat) são discos metálicos de cobre ou de bronze, de idade aproximada de 3.000 anos! Reza a lenda que sacerdotisas o utilizavam para espantar "maus espíritos" (será que as dançarinas pouco treinadas estão na verdade atraindo esses espíritos, hehehe?), sendo hoje um instrumento de percussão, tanto usado por músicos quanto por bailarinas.

No caso do snuj não tem a mesma colher de chá que o daff, a dançarina tem que tocar também! Só que temos diferenças entre o modo de tocar do músico e o modo de tocar da bailarina: o músico fica parado, suas mãos geralmente ficam com as palmas viradas para fora, e o snuj de cada dedo toca as extremidades do címbalo correspondente, movimento semelhante ao "estalar os dedos", produzindo um som estridente e bem mais longo que se tocado de outra forma; ele por si só se destaca na música. No caso da bailarina, essa posição das mãos não é rígida, pois ela está dançando, a única coisa que se deve respeitar é a forma de toque do snuj: leve, estridente, não como se estivessem batendo tampas de panela (o famoso "sapinho"), pois assim o som não se sobressai e mais ainda: incomoda! É preciso também bater nas extremidades!

Existem variedades de snujs, podendo ser grandes ou pequenos, altos ou baixos. Destes, os baixos para as dançarinas são melhores porque se fixam melhor nos dedos. Ah sim, como colocar os snujs! Os snujs são dois pares de címbalos, com um elástico no meio para prendê-los aos dedos (escolha elástico preto, o branco fica encardido fácil!!). Dois ficam nos polegares, e os outros dois ficam no dedo médio. Não aperte demais o elástico, senão seus dedos ficarão roxos, sem circulação! Para saber se o snuj está bem posicionado e firme, o côncavo dele (a parte mais proeminente e arrredondada, de onde sai o elástico) tem que estar na sua digital (o meio da digital, o círculo central), e ao balançar os dedos o snuj não muda dessa posição (para não correr o risco de tocando e dançando, ele virar para o lado oposto!). No caso do polegar, centralizando bem o snuj, ele fica abaixo e rente à cutícula, e no dedo médio ele fica sobre (o meio do elástico sobre a cutícula), mas nos dois casos não deixe a extremidade do elástico roçar a cutícula porque pode machucar!

Existem vários modos de acompanhar uma percussão com snuj com ritmos árabes, ou seja, não é só "tec-tec", o som tem que ser identificado. Um som básico é o de 4 tempos: DUM DUM TAKA TA DUM TAKA TA TAKA. Os músicos tocam o DUM com as duas mãos simultaneamente, mas as bailarinas podem tocar só com uma mão. Para quem é destro, pode começar com a direita: DUM, dividindo os TA e os KA nas mãos opostas ao som anterior, assim como o DUM, que fatalmente cairá na mão que se iniciou a tocar. Eleja uma mão para iniciar o "DUM", e com ela sempre execute este som. Assim você não ser perderá no meio do ritmo. A Ansuya ensina em seu DVD instrucional a se deslocar a cada DUM que você tocar, assim, "DUM - pisa". Toda vez que você tocar esse DUM, você pisará um pé e se deslocará, e até você conseguir tocar e andar sem ficar totalmente dessincronizada!

Creio que o melhor DVD para aprender a tocar snujs é o da Ansuya (Finger Cymbals with Ansuya e o Advanced Finger Cymbals with Ansuya), mas quem não tem e nem pode comprar, o ideal é tentar acompanhar uma música em casa ou na sua aula de dança do ventre (não se intimide com os olhares enigmáticos que te lançarem!). Uma dica para não perturbar a vizinhança no seu início de aprendizado: coloque em volta dos snujs esparadrapo ou fita crepe, para abafar o som, mas depois que você estiver treinada a dançar e tocar, tire essas fitas para começar a limpar o som do seu toque.

Os snujs podem ser dourados ou prateados, sendo uma escolha pessoal da bailarina, que verá aquele que ela se adapta melhor e gosta mais. Com o tempo ele escurecem, para limpar se pode usar produtos para limpeza de pratos de bateria (vende em lojas de instrumentos musiciais), sendo algo muito importante para a durabilidade de sua aparência e da sua "afinação" guardá-los num saquinho de pano. O ar em contato com este metal forma crostas nas bordas, que além de escurecer seu instrumento musical, podem desafiná-lo! Para testar a qualidade do som de um snuj, ao se tocar seu som deve se prolongar mesmo após ser abafado (aquele immmmmmmmmmmm).

E importante: não toque seus snujs num taqsim, num momento lento da música ou quando cantor estiver cantando (para ele não tacar o snuj em você!). O snuj aparece nos momentos mais marcados pela percussão, ou então como um solo, numa pausa da música. Assim ele tem a sua hora, não é para aparecer em toda a apresentação, ele é como se fosse um "enfeite", a sua "frase" é destacada, não podendo coincidir com outros momentos solo, como o do cantor (a vez do cantor é só dele, assim como a orquestra se apresenta no início, quando ele canta, algumas bandas dão até uma pausa, o snuj, então, precisa se calar!). O snuj bem tocado é um instrumento muito apreciado, mas por ser tão marcante, ele pode ser tornar também insuportável, por isso toda dedicação é imprescindível para quem quer se apresentar tocando este instrumento.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Tradução: Allah Aalam

Tradução da música Allah Aalam do Fadel Shaker
OBS: Esse clipe do Fadel Shaker é uma montagem muita bonita de um filme egípcio de Omar Sharif no início de carreira. Dá para ver como ele era um galã e tanto naquela época, e deduzir o tamanho de seu sucesso em Hollywood!


Allah Aalam - Deus sabe

Deus sabe se estou sonhando ou se isso é real
Apenas resta um minuto, simplesmente
Você irá embora e vai me esquecer
Meus olhos mentiram
Havia algo entre nós
E não creio que isto seja o fim definitivo de nossa história

Você partirá e não voltará mais para mim
Fez meus olhos chorarem quando os deixou assim
Oh o meu desejo escondi em minhas lágrimas e disse que esse era seu destino
Se você um dia voltasse para mim...
Mas isto poderia ser um sonho

E então eu acordaria do meu sonho e ainda veria você aqui
Nos meus pensamentos existem as mais doces noites com você
Que nunca as esquecerei
Sem você minha vida é assim e sem você ela parece que acaba
Se você pudesse contar quantas lágrimas já chorei
Você saberia de verdade o quanto é preciosa para meu coração.

Letra:

Allah a3lam en konet ba7lam
Ya 7abebi wala di el 7a2e2a
W fadel de2e2a
W khalas 7atemshi w tensani
Kadebet 3eni benak w beni

Mesh mesada2
En di el nehaya w akher el 7ekaya
7atrou7 w mish raje3 leya tani

3ala 3eni tbaki 3enek 3eni w enta keda sayeha
Ah ya nari bedmo3i badari ba2ol da nasebha
Law teje marra keda ma3aya zay mana 7asebha
Yetla3 da 7elm w a2om min el nom w ashoufak hena

3ala bali lek a7la layali 3omri mansetha
Min gherak de 7ayate w in gherak keda nhayetha
Law tege t3ed ma3aya kam dam3a baketha
Te3raf begad ghalawtak eih f2albi ana

Allah a3lam en konet ba7lam
Ya 7abebi wala di el 7a2e2a
W fadel de2e2a
W khalas 7atemshi w tensani
Kadebet 3eni benak w beni

Mesh mesada2
En di el nehaya w akher el 7ekaya
7atrou7 w mish raje3 leya tani

Dança do Ventre em Casa: Aquecimento


Antes de iniciar pra valer sua sessão de dança do ventre em casa, o bom e velho aquecimento deve ser levado em consideração. Ele é indispensável para um bom desempenho e evita dores de cabeça (e outras dores) futuras.

Planeje seu tempo

Decida quanto tempo você poderá dispor para a sua aula prática em casa - aquecimento, revisão, estudo do novo material e relaxamento. Separe um único local para guardar suas anotações, vídeos, lenços de quadril, acessórios e outras coisas mais de que você vai precisar para o seu trabalho. Deixe tudo sempre à mão para não perder tempo.

Vista algo apropriado para um exercício físico

Em vez de tentar dançar vestida com um jeans rasgado e uma camiseta velha, vista algo diferente do que costuma usar em seu dia-a-dia. Por exemplo, amarre sua camiseta logo abaixo do sutiã, deixando sua barriga à mostra. Ou então use um top, algo assim. Vista uma calça de tecido confortável com o cós abaixo do umbigo. Isso ajuda a destacar os movimentos do seu quadril. E é claro: um lenço de quadril é sempre bem vindo (mas não obrigatório).

Aquecimento

Comece cada aula com um aquecimento. Isso é importante porque deixa seu corpo e sua mente totalmente sintonizados com a dança. Além disso, estimula a circulação em seus músculos e os relaxa, deixando-os livres para os movimentos. Ajuda seu cérebro a levar para bem longe aquela grosseria do seu chefe ou a bagunça que seu filho fez em casa, fazendo com que você se foque somente na dança.

Se sua professora não te ensinou como se aquecer ou se você está estudando com um vídeo que não ensina como fazer isso, aqui vai um jeito simples de começar:


* Coloque um CD de música animada que você gosta muito. Não precisa ser música oriental, de dança do ventre, etc. Basta ser bem agitada, que faça você querer se levantar e dançar. Escolha uma faixa com duração de 3 a 5 minutos.

* Enquanto a música está rolando, caminhe mexendo os quadris de um lado pro outro (isso mesmo, vai andando "toda toda", hehe).

* Calmamente, abra os braços formando uma cruz (posição de cruz).

* Levante seus braços formando um "V", apontando para cima. Cerifique-se de que seus ombros estão relaxados, mas não encolhidos.

* Coloque ambas as mãos sobre a cabeça e relaxe um pouco os cotovelos, formando uma suave curva. Novamente, certifique-se de que seus ombros ainda estão relaxados.

* Mantendo um braço acima da cabeça, deixe o outro em "posição de cruz", fazendo com que seus braços formem um "L".

* Faça novamente um "L" do outro lado, trocando a posição de cada braço.

* Invente novos movimentos com os braços que possam parecer bonitos e delicados numa dança.

* Continue caminhando, mexendo os quadris no ritmo da música e experimentando todos esses movimentos para os braços até que a música termine.


Seguindo esse planejamento, você estará preparada para começar sua aula/sessão de dança do ventre em casa. Em breve, mais e mais dicas!

terça-feira, 26 de maio de 2009

Estilos: Zambra

O Zambra é o Flamenco Árabe, mais ou menos o que seria uma mistura do Flamenco com danças árabes, mais provavelmente, com a dança ghawazee. Para quem não sabia, os árabes (não exatamente "árabes", mas muçulmanos que falavam árabe advindo de povos dominados e islamizados do norte da África, em sua grande maioria) dominaram parte da Península Ibérica por 700 anos. Portugal não possui a mesma influência que a Espanha, pois conseguiu sua unificação no séc. XIII ainda, mas a Espanha permaneceu sob domínio islâmico até o séc. XV, quando a última cidade reduto árabe foi tomada: Granada. A Andaluzia, assim, foi e ainda é um grande exemplo de influência árabe no Ocidente, cidades como Córdoba, Granada, Cádiz ainda possuem - apesar da grande aversão espanhola por vários séculos aos árabes, ainda presente em intelectuais como Serafin Fanjul - várias marcas da presença muçulmana em sua arquitetura, organização social, idioma e cultura - aqui incluindo música, dança, festas típicas. O próprio Flamenco é contemporâneo do Zambra, ainda que não seja preciso dizer quem surgiu primeiro, e "quem influenciou a quem".

O nome Zambra vem do árabe "Samra", que quer dizer "morena". Este estilo é o que embalava as festas mouriscas (de "mouro" = bérbere = habitantes do norte da África), as quais sempre eram marcadas por muita alegria, palmas, algo bem próximo de festas ciganas, sendo um estilo característico da Andaluzia. Nesta região quatro povos trazidos pela dominação islâmica foram os principais veículos para esta fusão cultural: os bérberes, os turcos (provenientes de Damasco), os tartésicos (já estabelecidos em Guadalquivir, e descendentes das dinastias egípcias) e os ciganos (vindos do Egito, Índia e Europa Oriental).

O Zambra atualmente é uma tentativa de recriar este ambiente de comemoração, e suas apresentações são uma mistura de coreografia e improvisação. Em grupo elas são coreografadas, mas em solos elas geralmente são improvisadas. Os passos, como já comentara, são mistura entre o Flamenco e a dança do ventre "pé no chão" (nada de meia-ponta, arabesque, giros do jazz, aqui é dança do ventre ghawazee). Do Flamenco, temos os posicionamentos dos braços, a postura (ombros para trás, demonstrando valentia), o movimento das mãos (para fora, ao invés para dentro da dança do ventre), sapateado, palmas. Da dança do ventre antiga temos: as ondulações, camelos, tremidos, básico egípcio. Os deslocamentos são como os ciganos, algumas vezes as dançarinas pegam nas saias e a sacodem como ciganas, ou andam com elas na mão, cobrindo parcialmente o corpo. Nesta dança há também o uso de muitos acessórios: xales, leques, bastões, velas, e instrumentos como castanholas, facas, címbalos, pandeiretas, percussões, entre outros.

A roupa das dançarinas de Zambra é semelhante a uma roupa cigana, mas também podem ter a barriga descoberta. Sempre tem o quadril adornado por um xale ou por um cinturão de medalhinhas. A saia densa e rodada é característica, a maioria são saias ciganas, mas há variações. A parte superior que se alterna bastante, desde a um bustiê comum a blusas com longas mangas de babados, sendo também muito usadas blusas ciganas (aquelas fofas na manga usadas com as mangas caída no ombro, desnudando o colo). Algumas dançarinas adotam o estilo ghawazee para compor seus figurinos, com lenços de medalhinhas na cabeça e um visual mais carregado de adereços (moedas, miçangas, etc).

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Ritmos: Malfuf

O Malfuf (também chamado de Malfouf, e no Egito de Laff) é um ritmo bem forte, vibrante. Originário do Norte da África ele é conhecido no Brasil, não só pelas músicas árabes, mas nas próprias músicas brasileiras: pare para ouvir um forró, um baião, lá está o Laff! Eu tive o prazer e o orgulho numa aula de Brasil II na minha faculdade, de levantar a mão e dizer ao professor um dos ritmos que os árabes haviam incorporado na nossa cultura! Agora vocês sabem também! Masha'Allah! Mas em outro post eu falo mais especificamente sobre esta influência árabe no nordeste brasileiro!

O Malfuf é um ritmo de 4 tempos (2/4): DUM TATA DUM TATA. Ele aparece muito em solos de derbake e em músicas clássicas, além de - claro - estar bem presente no Melea Laff (não é à toa que este ritmo possui o mesmo nome no Egito: "enrolado", usado também como gíria: "enrolação"), possuindo ainda uma versão mais lenta no Raks El Shamadã (Dança do Candelabro). O Malfuf rápido aparece nas entradas e nas saídas nas músicas clássicas (sabe aquela parte que aparece no início e repete no final da música?), logo muito presente para deslocamentos. No geral ele é primordialmente usado para alternar momentos na dança (da entrada para o meio, do meio para o fim, entre os estilos no derbake, em mudanças de interpretação na música, etc), o que faz com que ele seja visto como um ritmo "ponte", ligando momentos diferentes da apresentação.

Aqui abaixo temos um Malfuf no derbake logo no início do vídeo, e abaixo um Malfuf na entrada e na finalização de uma música clássica interpretada pela dançarina Polímnia Garro.


domingo, 24 de maio de 2009

Dança do Ventre em Casa: Como começar

Muitas dançarinas gostam de trabalhar na própria técnica e coreografia sem precisar da ajuda de uma professora. Por isso, o Dança do Ventre Brasil traz a partir de hoje, dicas de como aprender ou aprimorar a Dança do Ventre em casa!

Com a ajuda de livros, vídeos, etc, você mesma pode organizar sua aula. Mas como fazer isso? Pode parecer simples, mas não é. Por isso, vamos às dicas.

Como se preparar para dançar

Quando estamos na escola, os professores aconselham nossos pais a criar todo um programa de estudo onde possamos fazer as lições de casa, tudo numa hora e num local adequados para isso, livre de distrações como a televisão. Os mesmos princípios básicos são válidos para adultos que estão tentando aprender algo novo.

Longe de distrações

Se tem algo que adoro fazer enquanto estudo inglês, por exemplo, é "assistir" (ouvir) televisão. Porém, isso me distrai tanto que o estudo leva mais tempo do que o esperado. Então para que eu consiga fazer tudo sem me atrasar (e da melhor maneira), preciso desligar a tv. Com a Dança do Ventre a coisa funciona da mesma forma. Pense no que pode te distrair enquanto você dança - provavelmente seus filhos, seu cachorrinho, seu gatinho, seu marido pedindo uma cerveja (aff!). Dê uma ocupação a tudo o que possa tirar sua concentração: deixe os animais em outro cômodo, certifique-se de que as crianças estão brincando ou estudando, ensine o caminho da geladeira ao seu marido. Encontre um momento só para você.


Você precisa de tempo

Se possível, reserve no mínimo uma hora para praticar a dança. Se você costuma fazer um aquecimento, rever o que aprendeu nas aulas passadas e praticar sozinha novos movimentos, uma hora passa voando. Infelizmente, nem todo mundo tem uma hora inteirinha sobrando. Por isso, se você tiver que praticar menos, pratique o que der. Lembre-se de que uma aula num curso regular de Dança do Ventre dura em média uma hora tambem. Se você está aprendendo ou revendo os passos em casa, por que não se dar os mesmos benefícios mas com uma maior concentração e relaxamento que você só encontra em casa?

Pratique regularmente

Tente praticar a dança ao menos uma vez por semana. Se você tem tempo para praticar mais, vai aprender ainda mais rápido. Quanto mais espaçadas forem as suas aulas em casa, mais rápido você vai esquecer do que aprendeu.

Defina metas realistas

Se você não tem certeza do que pretende ao começar suas sessões de dança em casa, então provavelmente não conseguirá evoluir muito. Decida se o seu objetivo ao praticar a dança do ventre é manter a forma, adicionar novos passos e movimentos aos que você já conhece, aprimorar técnicas, ou aprender o passo para uma coreografia num show. Todas essas metas são razões ótimas para se começar a dançar, porém você precisa direcionar cada uma delas para uma técnica diferente. Por exemplo, se você quer apenas aprender a dançar, então você precisa estabelecer a meta de dominar quatro novos movimentos e rever todos os movimentos que você conhece até então numa sessão prática de uma hora de duração. Mas se você quer usar a dança do ventre para perder peso ou manter a forma, então terá que programar o exercício usando movimentos aeróbicos contínuos.


Acredito que com essas dicas já dá para se organizar um pouquinho para começar a praticar a Dança do ventre em casa. Logo, logo tem mais. Aguardem.

Folclore: Melea Laff

O Melea Laff (também encontrado como Meleya Laff, Mileya Laff, Melaya Laff ou Melea Laf) é um estilo de dança oriundo do Egito, mais especificamente a dança caricatural das mulheres de Alexandria visando atrair os marinheiros no porto (É difícil acreditar que mulheres "liberais" dançavam provocantemente no mercado, pois para chegar a tamanha ousadia por lá só sendo realmente prostitutas! Ainda assim encontramos na internet muita gente reforçando que a dança nada tem de prostituição, o que no final podemos até "quebrar um galho" quando pensamos no Egito com a dominação britânica, extremamente europeizado de antigamente...), surgido na década de 20 do séc. XX. Umas das formas de distinguir uma música certa para este estilo, por exemplo, é identificar o nome desta cidade na sua letra (Iscandaria = اسكندريه), visto que os ritmos que podem o compor são bem comuns nas músicas árabes, como o baladi (sempre presente), e também o malfuf que o marca bastante, também usado em outros estilos, como o Hagalla e o Dabke.

O nome Melea Laff significa "lenço enrolado", denominando este estilo como "dança do lenço enrolado". A bailarina ostenta em seu figurino este lenço, com o qual realiza os movimentos que caracterizam a dança: ela o gira, o prende junto ao corpo realçando suas curvas, o transpassa entre as pernas, tudo é um jogo da sedução. O figurino então é característico: vestido curto de babados e justo, chador para cobrir o rosto (espécie de véu pequeno de crochê que se amarra na cabeça e durante a dança geralmente é colocado para trás), uma tiara na cabeça (com flores artificiais, pompons, entre outros para enfeitá-la) o tradicional véu do melea, maior (em comprimento), mais pesado e com medalhinhas ou pastilhas nas pontas para dar brilho, e tamancos (mas não muito altos para não atrapalhar a dança). Os vestidos podem ser pretos ou coloridos, floridos, o véu que é sempre preto, representando estas mulheres do Egito que andavam pelas ruas enroladas num véu preto da mesma forma que as bailarinas entram para iniciar sua performance (uma ponta presa embaixo do braço e a outra cobrindo a cabeça).

Para dançar Melea Laff é necessário parecer alegre, afinal você está "seduzindo" um marinheiro charmosíssimo que acabou de chegar no porto, ui ui ui! É preciso ser provocante, sorrir, ter entusiasmo na dança. Como nela se interpreta um estereótipo, temos um estilo carregado de gestos, olhares, posicionamentos que dizem mais do que a dança em si: encarna-se aquela mulher livre, que está se divertindo ao chamar a atenção, que paquera, que cativa com sua aparência impetuosa. Melea sem interpretação não é Melea de fato, à primeira vista ele parece não ter mistério, mas envolve aquele quê a mais que qualquer bailarina deveria ter. Não tem jeito, para dançar Melea Laff tem que arrasar!

Aqui embaixo fica o vídeo da Suheil para se ter uma ideia da interpretação e da dança do Melea Laff (eu não seria muito objetiva se ficasse falando: são dois passinhos pra cá, chuta assim, olha assado, o negócio é ver!!!). Para quem está pensando em dançar este estilo, prepare-se!!

Tradução: Wala Laila

Tradução da música Wala Laila da Sherine Wagdy.



Wala Laila - Nem uma única noite

Oh, este meu desejo por você
Que tomou meu coração e o está levando para longe de mim
Eu te imploro
Tenha piedade do meu desejo e por aquelas noites

Não houve uma única noite que você esteve longe dos meus pensamentos
Meu amor, enquanto você estiver na minha cabeça
Me garanta que virá alguma dessas noites
Você me deixou com meus anseios e pensamentos

Eu amei suas noites sem sono e tudo que vinha de você
E meu coração não ansiava por mais nada, a não ser os seus olhos
E em todas suas noites de amor eu estive sonhando em te encontrar
E tudo que eu desejei para meu amor era encontrar você ao meu lado

Não importa o quão longe nós estivermos, com países nos separando
Nossa vez chegará e nós a aproveitaremos
E nós nos consumiremos no amor e na ternura desses dias
Dos quais as noites sempre irão nos unir.

Letra:

Ya shou'y e'lyeek
Ya wakhed alby
We mesafer be3eed 3anny
Amanna 3aleek
Men el a'shwa' We layaleeha la terhamny

Wala Leila Ghebt 3an khayally
Ya Habeebi Meneen Marooh fe bally
Tamenny 3aleek fe Leila yally
Betsebny Le shou'y we ensheghally

7abeet sahar layaleek we kol ma feek
Wala gheir le 3eneek eshta' alby
We tool layally hawaak ba7lam be lo'ak
We monaya 7abeeby 'ala'eek ganby

Mahma haneb'a be3aad we mabenna Bellad
Haygellna me3ad we yegama3na
We nedoob 7aneen we gharam we ne3eesh ayam
Dayman layalleeha betegma3na

Tradução: Enta 3aref Leeh

Tradução da música Enta 3aref Leeh da Ruby.


Enta 3aref - Você sabe o porquê?

Você sabe porque eu te amo
E porque seu amor é tão belo para mim?
Porque eu fico acordada até tarde
E porque eu me derreto pelos seus olhos e por seu amor
Desejando que esteja por perto?
Estou tão confusa,
Ohh, estou desse jeito que você vê
Você se preocupa, e suas preocupações são minhas também

Porque você está apaixonado
Louco e seu amor me preenche como o universo
E às vezes você não se dá conta
Que somos fortes e que meu coração está cheio de desejo
Meu amado, o mais precioso para meus olhos
Meu coração e minhas riquezas são canções
Que falam do meu amor por você, meu querido
Estou te chamando, venha até aqui
Tenho tanto a dizer
E sou toda ternura, paixão e amor
E minha espera por você não acaba, ela não vai acabar

Letra:

enta 3aref laih ba7ebak laih we7obak laih bye7lali
laih bas-har laih wadoub be3naik wa7ebak teb2a tawali
7ayran 3ala toul ahh keda
we mashghoul we 7alak yeb2a min 7ali

3alashan betkoun 3ashe2
magnoun we7obak leya mali el koun
webteb2a baree2 sa3at
we garee2 wala albi 3aleek beyhoun
ya 7abeeb albi ya ghali 3ala 3aini
we albi we mali ghena
3an 7obak youm ya seedi ana
ana banadeek ta3ala hena
tab ana 3andi kalam we kalam
we koli 7aneen we shou2 we gharam
we shou2i eleek wala beynam wala beynam

enta 3aref laih ba7ebak laih
we7obak laih bye7lali
laih bas-har laih wadoub be3naik
wa7ebak teb2a tawali
7ayran 3ala toul ahh keda
we mashghoul we 7alak yeb2a min 7ali

enta 3aref laih..enta 3aref laih..enta 3aref laih..

3alashan betkoun 3ashe2 magnoun
we7obak leya mali el koun
webteb2a baree2 sa3at
we garee2 wala albi 3aleek beyhoun
ya 7abeeb albi ya ghali 3ala 3aini
we albi we mali ghena
3an 7obak youm ya seedi ana
ana banadeek ta3ala hena
tab ana 3andi kalam we kalam
we koli 7aneen we shou2 we gharam
we shou2i eleek wala beynam wala beynam

ah...

sábado, 23 de maio de 2009

Ritmos: Masmoudi

O ritmo Masmoudi (ou Masmudi), de origem andaluza, é um grande conhecido das bailarinas. Este ritmo possui variações que o permitem encaixar desde em músicas clássicas até em dança ghawazee, hoje sendo visto também em músicas para a dança tribal.

O Masmoudi possui 8 tempos: DUM DUM TAKA TAKA TA DUM TAKA TAKA TA TAKA TAKA TA, tendo duas formas características: Masmoudi Kebir e o Masmoudi Saghir. O primeiro é chamado de "masmoudi de guerra" por apresentar uma cadência agressiva, sendo mais lento que o segundo. Já o Masmoudi Saghir é praticamente um Baladi, por utilizar a mesma estrutura com um tempo diferente (o Baladi tem 4 tempos, e o Masmoudi, 8. Há também quem diga que o baladi não é um ritmo, mas uma estrutura musical, por isso tanta associação com outros ritmos, mas isso fica para outro post!). Destes, o Masmoudi Kebir é o que mais se destaca nas músicas clássicas, sendo utilizado em solos, como uma quebra da música, para a dançarina fazer movimentos mais elaborados e com menor velocidade. Existe uma variação do Masmoudi Kebir que se inicia com 3 dums, chamado "masmoudi caminhando", que como o nome diz é usado para deslocamentos (DUM DUM DUM TAKA DUM TAKA TAKA TAKA TAKA TA ou então menor como DUM DUM DUM TAKA DUM TAKA TAKA).

Para encontrar o Masmoudi precisamos ficar atentos ao ouvir uma música clássica. Geralmente ele se associa aos deslocamentos e também aparece muito junto com Baladi. Para ilustar melhor este ritmo decidi colocar uma música clássica interpretada pela dançarina Luciana Nogueira: Nasma de Sayed Balaha! Abaixo também há um professor explicando o ritmo - em uma língua desconhecida - e temos uma ótima visualização através dos derbakistas, sendo primeiro o exemplo do Masmoudi Kebir e depois o Masmoudi Saghir.


sexta-feira, 22 de maio de 2009

Suzanne Tamim

Eu resolvi escrever sobre esta cantora porque ontem seus assassinos foram condenados à morte, sendo que um deles é um bilionário egípcio. Esse realmente é um caso raro de justiça no Oriente Médio feito em favor da mulher, que muitos ainda discutem se foi um ato de justiça ou um "acerto de contas" entre os altos partidos do Egito.

Suzanne Tamim se lançou ao sucesso através de um programa da tv libanesa em 1996 - algo parecido com o "Ídolos", mas que já está no ar desde a década de 70 - chamado "Studio el Fan". Na época a revista Al Shabaka dissera que a voz de Suzanne permitia que ela interpretasse desde clássicos a músicas pop modernas.

Nascida no Líbano em 23 de Setembro de 1977, sua vida privada sempre foi atribulada. Após ser lançada ao sucesso no programa de calouros, ela se tornou atriz de musical, mas acabou abandonando sua carreira, passando a ter sua vida pública alimentada por escândalos pessoais. Seu último álbum foi lançado em 2002, Saken Alby, e apesar dos recordes de venda não produziu mais discos, gravando somente um single em 2006, Beirut, dedicado à memória do primeiro-ministro libanês Rafik Hariri.

O escândalo de sua vida pessoal e a interrupção de sua carreira se devem aos seus relacionamentos: primeiro, ela se divorciou do primeiro marido, Ali Muzannar, e acabou se casando com o produtor musical Adel Matouk, proprietário da Arab European Record Company de Beirute, que a fez assinar um contrato de exclusidade com sua companhia por 15 anos. Oito meses após o casamento, Matouk quis proibir Suzanne de se apresentar, e com a recusa dela, ele cancelou todas as suas apresentações e todos seus discos. Ela ainda tentou procurar outras produtoras, mas devido ao seu contrato de exclusividade com o, já então, ex-marido, não pode assinar novos contratos e retomar sua carreira. Matouk tentou destruir a carreira de Suzanne, a impedindo de sair do Líbano sem a sua autorização, e tornando proibidas as suas apresentações no Egito e no Líbano.

Nesse período - de 2002 a 2004 - Suzanne amargou momentos turbulentos, envolvendo-se com álcool e drogas, e em 2004 foi até acusada de roubo pelo ex-marido, ficando presa no Egito por dois dias. Acabou condenada pelo tribunal libanês a dois anos de prisão e a uma multa de 160 mil euros a Adel Matouk, mas a pena não foi cumprida. Com tantos problemas, Suzanne ainda se envolveu no Egito com o bilionário egípcio Hisham Talaat Mustafa, se tornando sua amante. Mas preferiu dar fim a esta relação, se refugiando na ilha de Jumeriah, em Dubai.

Em 2008, Suzanne decidiu se casar com o pugilista britânico Riyadh Al-Azzawi, o que despertou a ira de Hisham Talaat Mustafa, ainda não convencido da separação. Ele contratou um antigo membro das forças de segurança egípcias para assassiná-la pela bagatela de US$1.000.000,00: Mohsen al-Sukari. Este foi até o apartamento dela num hotel em Dubai e a esfaqueou no rosto, desfigurando-a, degolando-a em seguida. Mustafa e Sukari não contaram com o óbvio: as câmeras de segurança que filmaram a entrada e a saída de Sukari ao quarto de Suzanne.

Hoje o mundo todo soube da condenação à morte destes dois homens pelo assassinato de Suzanne Tamim. Não sabemos se a condenação deles realmente é um fato a se comemorar na luta contra a violência a mulheres, mas ao menos vai estremecer muitos outros homens que agridem suas esposas e as impede de viver! Suzanne teve sua carreira interrompida por homens que não a respeitaram, que a calaram, mas ainda que sua passagem tenha sido breve no mundo da fama, a sua voz continuará embalando muitos ouvintes ao redor do mundo.

Aqui fica o exemplo da sua voz encantadora, e que após sua morte ainda conquista fãs.




quinta-feira, 21 de maio de 2009

Tradução: Bhebak Wala

Tradução da música Bhebak Wala da Najwa Karam


Bhebak Wala - Eu te amo, juro!

Eu te amo, juro!
Você cujo o amor marcou meu coração
Você maltratou meu coração
E colocou minha vida de cabeça para baixo
Continuo tentando esquecer onde estou
E não sei mais o que está havendo comigo

Deixe-me só em meus pensamentos
Seu amor é um terremoto
Que mudou meu interior
E isso não acontece com todo mundo

Meu amor me enlouqueceu, me tirou do sério
Eu não sabia que o amor era psicótico
Seu amor renovou minha vida
E me fez só encontrar paz em seu coração

Letra:

(bet7ebeni)
b7ebak wala3 - x2
yalli hawak b2albi entaba3

feek ensalab albi
w 3omri en2alab albi
kont bdeni sart bdeni
ya dai medri shobeni, shobeni

b7ebak wala3 - x2
yalli hawak b2albi entaba3

khaleeni b7ali
esra7 bkhayali
7obak ya 7abibi zelzal
kharbatli kayani
ghayarli zamani
7obak ma khater 3ala bal

kont bdeni sart bdeni
ya dai medri shobeni, shobeni
b7ebak wala3 - x2
yalli hawak b2albi entaba3

ganani gharami
2ablak ya gharami
ma3reft el hawa magnoon
7obak ya 7ayati
gadadli 7ayati
amarni b2albak kon

kont bdeni sart bdeni
ya dai medri shobeni, shobeni
b7ebak wala3 - x2
yalli hawak b2albi entaba3

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Amr Diab

Amr Diab (Amr Abdel Basset Abdel Aziz Diab) é considerado o cantor árabe de maior notoriedade no mundo. Nascido no Egito em 11 de Outubro de 1961, iniciou sua carreira aos seis anos de idade, quando se apresentou no dia de Al-Gala (comemoração pela expulsão dos britânicos do Egito), cantando o Hino Nacional. Sua performance foi tão bem recebida, que ele ganhou do então governador de sua província, Hassan Rushdie, uma guitarra como prêmo por sua interpretação.

Em 1983, Amr lançou seu primeiro disco, Ya Tareeq (Meu andarilho), mas somente em 1988 que ele obteve sucesso, com o álbum Mayaal. A partir daí, Amr passou a trabalhar também produzindo, arranjando e remixando músicas de diversos artistas, até mesmo alemães, entrando em contato com diversas culturas, e associando-as à tradicional música árabe. Por isso ele é considerado um artista "pan-mediterrâneo", pela enorme mistura de estilos e ritmos que agrega às suas músicas, como o raï, flamenco e o pop. Em 1992 ele se tornou o primeiro popstar árabe a produzir videoclipes com alta qualidade técnica.

Em 1996, Amr Diab se lançou à carreira mundial com o sucesso Nour El Ayn, disco e hit que se tornou um fenômeno por todo o mundo. Desde então ele está no topo dos artistas do mundo árabe, vindo a formar parcerias com outros artistas, como o argeliano Khaled e a grega Angela Dimitriou. Todos seus albúns posteriores também se tornaram grandes sucessos.

Amr Diab revolucionou o padrão musical no mundo árabe, não só pela nova composição de ritmos, mas também por sua aparência, incluindo aí até mesmo o corte de cabelo (Cá entre nós, ele não é a cara do Zezé DiCamargo?). Ele rompeu barreiras criando um novo estilo de música árabe (nomeado de "Jeel Music") e foi o primeiro artista árabe a fazer videoclipes para divulgar seu trabalho. Por tamanha ousadia, ele recebeu diversos prêmios. Não é à toa que ele é um dos cantores mais conhecidos e admirados por todo o mundo.

Aqui abaixo fica uma amostra de como o sucesso de Amr Diab foi além das fronteiras do Oriente Médio: um comercial da Pepsi com Britney Spears, Beyoncé, Pink e - claro! - Amr Diab! Enjoy!


Tradução: Nour el Ayn

Tradução da famosíssima música Nour el Ayn de Amr Diab


Nour el Ayn - Querida, a luz dos meus olhos

Minha querida, a luz dos meus olhos
Você vive na minha cabeça
Eu te adorei por anos como ninguém mais na minha mente

Querida, querida, querida, a luz dos meus olhos
Querida, querida, querida, a luz dos meus olhos
Querida, querida, querida, a luz dos meus olhos
Querida, querida, querida, a luz dos meus olhos
Você vive na minha cabeça

Os mais belos olhos que eu jamais vi em todo o universo
Deus está com eles e na sua mágica
Seus olhos estão comigo, seus olhos são o que preciso
Seus olhos estão comigo, seus olhos são o que preciso
Vocês iluminam as noites

Seu coração me chamou e disse que me ama
Deus esteja com você, você me deu confiança

Com você isto é o começo, com você que começa toda a história
Com você isto é o começo, com você que começa toda a história
Estarei com você até o fim.

Letra:

habeebi ya noor el ein ya saken khayali
aasheaa baeali sneen wala ghairek fey bali
x4

habeebi habeebi habeebi ya noor el ein
aah habeebi habeebi habeebi ya noor el ein
x2
ya saken khayali

agmal oyoun fel kon ana shoftaha
allah aalaik allah aala sehraha
x2

oyounak maaya oyounak kefaya - x2
tenawer layali

habeebi habeebi habeebi ya noor el ein
aah habeebi habeebi habeebi ya noor el ein
x2
ya saken khayali

habeebi ya noor el ein ya saken khayali
aasheaa baeali sneen wala ghairek fey bali

albak nadani w al bethebeni
allah aalaik allah tamenteni
x2

maak el bedaya w kol el hekaya - x2
maak lel nehaya

habeebi habeebi habeebi ya noor el ein
ah habeebi habeebi habeebi ya noor el ein
x2
Aah

habeebi habeebi - x3
habeebi ya noor el ein
aah habeebi habeebi habeebi ya noor el ein
habeebi habeebi
aah habeebi habeebi

terça-feira, 19 de maio de 2009

Luciana Nogueira

Carioca, a bailarina Luciana Nogueira iniciou seu estudos em dança do ventre aos 22 anos na Cia Vanessa Costa, com a qual aprendeu toda a base dessa arte. Em 2002, dois anos após iniciar seus estudos, ela começou a se dedicar profissionalmente à arte da dança do ventre e à cultura árabe, passando a se especializar com aulas e workshops com mestres como Jade El Jabel (Khan el Khalili), Aysha Almeé, Lulu From Brazil, Shakar Badri, Carlla Silveira, Nar, Dunia La Luna, e internacionalmente com Dina, Randa Kamel, Raqia Hassan, Yoursy Sharif, Jillina e Saida.

Luciana é uma dançarina premiada, já ganhou diversos concursos e já foi avaliada e aprovada por estrelas como Randa Kamel e Saida. O seu estilo é apreciado por diversas bailarinas, as quais buscam encontrar o mesmo equílibrio entre técnica e leveza que possui.

Além da dança do ventre, Luciana é concluinte da faculdade de Educação Física, agregando mais conhecimento à sua profissão. Ela ministra aulas no Rio de Janeiro, e também faz shows e workshops por todo o Brasil. Luciana também possui uma loja virtual com CDs, DVDs e artigos para dança do ventre, a Loja Nefertiti, oferecendo, assim, difusão e acesso à cultura árabe a todos os interessados.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Tradução: Esmaani

Tradução da música Esmaani da Carole Samaha.


Esmaani - Me ouça

Me ouça
O que eu quero dizer para o mundo todo
Eu vou fazer todos saberem as minhas novidades
Eu direi a eles, meu amor
Que sou a única que seu coração ama
Nossa história é linda
E eu não quero a esconder

Ah isso, minha vida, nosso destino
Ah, e nada pode nos separar

Esta noite a jornada começa
E o mais belo mundo espera por nós
Nossa casa, nossos filhos pequenos
E meu amor por você como brasa ardente

Eu te quero, meu querido
Sua presença é necessária por toda minha vida
Eu te amo, meu querido
Eu te amo mais do que todo o mundo
Faça-me esquecer todo o passado
Faça-me esquecer...

Letra:

Esm3ny Sho Bady 2ool
Edam El Denia Kellah
Ra7 Khaly Kel El Nas
T3ref Akhbary Kellah
x2

Ellon Ya Habeeby Ellon
Hya Elly Alby 7abba
Madam El Essa Kebret
M3ndy Shee2 Yetkhaba

Ahhhh
Haydy Ya 3omry Adrna
Ahhhh
Wala 2oa Betfr2na
x2

Leely Bybda2 Meshwar
We Agmal 3alam Natrna
Bayty We Welad Esghar
Wenta Be7obak Ghamrna

Ellon Ya Habeeby Ellon
Hya Elly Alby 7abba
Madam El Essa Kebret
M3ndy Shee2 Yetkhaba

Baddy Ya Habeeby Be Orbak
Kafy Seneeny We Akbar
Ba7bak Ya Habeeby Ba7bak
Ad El Denia We Aktar
Naseeny El Mady Kello Naseeny

Ahhhh
Haydy Ya 3omry Adrna
Ahhhh
Wala 2oa Betfr2na
x2

Ahhhh
Haydy Ya 3omry Adrna
Ahhhh
Wala 2oa Betfr2na
x2

Ahhhh - x3
Haydy Ya 3omry Adrna
Wala 2oa Betfr2na
Ahhh

domingo, 17 de maio de 2009

Tabu: Homens na Dança do Ventre

Na cultura árabe não só as mulheres tem acesso à dança nas festas, os homens também, existindo diversas modalidades em que ele se insere. Entretanto essa dança é nitidamente masculina, com passos para homens distintos dos das mulheres, e o que estamos tratanto neste tópico não é a dança masculina árabe, mas os homens que se vestem de dançarinas do ventre e executam movimentos femininos.

É bonito? É surpreendente? É repulsivo? Muitas opiniões são formuladas pelos que assistem a um homem fazendo dança do ventre, mas nenhuma delas define realmente o que a sua prática exemplifica. O que nos resta é ser sinceros consigo mesmos: você gosta, assista, aplauda, divulgue; você não gosta, saia, evite, não vá pichar o trabalho alheio, pois o que para você é ridículo, para muitos outros é arte. Respeitar os outros é fazer-se respeitar também.

Indubitavelmente vários homens dançam muitíssimo bem, sendo muito melhores do que as mulheres em técnica e desenvoltura. Existem dançarinos muito famosos, como o Tito (egípcio), o Jamil (turco), e no Brasil, o Henry Netto. De todos eles, eu acho que o Tito é o melhor, pois o Jamil seria a Rachel Brice "versão masculina", muitas ondulações provenientes da Yoga, e o Henry aqui é hors concours, enquanto o Tito é a técnica em pessoa, eu vejo a Luciana Nogueira (uma dançarina revelação no Brasil) nele, com movimentos suaves, marcações perfeitas, giros precisos e principalmente CARISMA! Nós mulheres ficamos envergonhadas ao ver homens tão melhores do que a gente numa arte genuinamente feminina!!

Então pessoas, caso não tenham já contato com esta versão da dança do ventre, pesquisem! A melhor maneira de conhecer um trabalho que à primeira vista pode parecer estranho é buscar conhecê-lo, assim não dará margens à preconceitos e distorções. Isso não quer dizer que você vá amar as apresentações, depende de você, daquilo que você considera bonito, pois ninguém tem que ser igual a todo mundo, muito menos concordar com o que todo mundo concorda. Então antes de tomar qualquer partido, vá olhar estes artistas que estão encantando e chocando plateias do mundo! Bon Voyage!

Aqui fica uma amostra da dança de Tito!

Haifa Wehbe

Haifa Wehbe sem dúvida é uma cantora polêmica. Com 33 anos, ela possui uma beleza marcante, sensual, que encanta homens de todo o mundo, e choca a comunidade conservadora árabe!

Haifa nasceu em Mahrouna, no Líbano, em 11 de Março de 1976, e bem cedo iniciou sua carreira artística como modelo. Aos 16 anos ela ganhou o concurso de miss do Sul do Líbano, e em 1995 chegou a ser finalista no concurso de Miss Líbano, mas foi desclassificada ao saberem que ela já era casada. De pai libanês e mãe egípcia, Haifa provém de uma família muçulmana xiita, e bem cedo, seguindo as tradições, se casou com um homem da mesma religião. O casamento não deu certo, e na separação ela perdeu a guarda - e qualquer contato - com sua única filha, Zeinab Zaza, pois segundo as leis libanesas, em caso de divórcio, a guarda dos filhos compete ao pai, e na ausência deste, ao Governo.

Em 1996, Haifa deslanchou na sua carreira como modelo, aparecendo em diversas revistas. Em 2002 ela decidiu mudar de ramo e lançou seu primeiro álbum, Houwa El Zaman (Já é tempo), que se tornou um sucesso de vendas, alavancado pelo hit Aqoul Ahwak (Eu digo te amo). Em 2005, ela lançou seu segundo álbum, Badi Aesh (Quero acreditar), atingindo um sucesso estrondoso com as músicas Ya Hayati Albi (Minha vida do meu coração) e Ana Haifa (Eu sou a Haifa). Seu sucesso só se manteve com os hits seguintes, como Wa-wa (dodói), este carregado de sensualidade e duplo sentido.

Haifa ganhou diversos prêmios por sua atuação como cantora, e também é garota propaganda da Pepsi no Líbano. Além disso, ela também está entre as mulheres mais desejadas do mundo árabe (num ranking feito pela mídia local) e a mulher mais bem vestida de Bahrain. Ela também já atuou como atriz no filme Dokan Shahata (Loja Shahata?), lançado agora em Maio de 2009 (esse filme parece uma mistura daqueles filmes brasileiros da década de 80 com os da Fifi Abdo, louco!), e participou do reality show Al Wadi (A Fazenda).

Haifa faz muito sucesso não só por sua beleza, mas principalmente pela sua sensualidade, se apresentando de forma provocante, com vestidos curtos, decotados, justos, muito diferentes dos padrões muçulmanos. No Oriente Médio ela possui muitos perseguidores, que a acusam de ser "prostituta de luxo", com calúnias diversas (entre elas a de que teria feito um filme pornográfico para conseguir dinheiro e reobter a guarda da filha). Daqui do Brasil não dá para saber com precisão até que ponto esses boatos atingem a imagem de Haifa, pois é inegável o sucesso dela por aqui e pelo mundo.

Aqui abaixo o trailler do filme dela:

Related Posts with Thumbnails