sábado, 23 de janeiro de 2010

Dança do Ventre e Auto-Estima

Pensando no que a Jarid disse (uma pessoa que tem uma vida emocionante na Índia, e é linda, ainda que seja modesta ao admitir isso...), quantas de nós realmente nos sentimos o tempo todo lindas, maravilhosas, gostosas, divas?! E o que a dança do ventre realmente nos traz?

Eu acredito totalmente nos benefícios da dança do ventre para nossa auto-estima, para nos transformar de um bichinho sem graça numa pessoa mais confiante, mesmo que seus efeitos não sejam iguais para todas. Uma das melhorias que minha família mais reparou foi na minha postura. Eu sempre fui muito tímida, andava toda curvada, mas quando comecei a dançar, além da postura, a minha forma de andar melhorou bastante. E ainda aprendi a esquecer todas as minhas neuroses dos padrões de beleza ao ouvir a música, ao dançar. Ali eu sou a Celia, não a gordinha, não a fofinha, não a bonitinha. Eu estou além de uma classificação hipócrita de beleza.

Acredito que o impacto da dança do ventre na nossa vida seja mais nitidamente percebido por quem está ao nosso redor. Eu consigo agora estar num dia radiante e atrair olhares e elogios, mesmo não sendo a Gisele Bündchen, mesmo sem intenção. Antigamente quando eu andava na rua, se alguém olhasse para mim, eu achava que devia ter algo errado na minha roupa, no meu rosto, eu devia estar com uma marca de pasta de dente no canto da boca, só podia ser! Não podia achar que um ser poderia me achar bonita, como achar uma gorda bonita? Algumas neuras ainda existem, pois ainda pesa o estigma da beleza esquelética, eu posso estar arrumada, cheirosa, sorridente, alguém vai falar "só falta emagrecer...". Ou seja, eu gorda sou digna de pena por não ser magra... Mundo cruel...

Só que quando entro numa aula de dança do ventre, posso ver uma ou outra "modelo de capa de revista", outras bem fora do padrão de beleza como eu, porém todas estão no mesmo barco, às vezes as "belas" muito menos sensuais que as "feias", reduzindo o espaço que o preconceito poderia ter. Para aquele movimento sair perfeito, eu tenho que ir além da minha baixa auto-estima, buscar aquela sensualidade no fundo da minha alma para expressar na dança, e isso de forma inconsciente, para que a minha cabeça não me condene por achar que há em mim uma incapacidade nata de ser atraente. Esse exercício contínuo vai se acumulando no meu subsconciente, mesmo que eu tente, eu não consigo mais anular completamente a minha feminilidade. O "belo" passa a fazer parte de mim, e eu deixo de ser um estereótipo de "feia mal-amada", para acreditar que a sensualidade está além do meu corpo.

Como já comentamos, o mundo artístico da dança do ventre clama por corpos definidos, mulheres "perfeitas", pouco vemos dançarinas famosas que estejam fora desse padrão. Mas não vamos mudar o mundo com algumas palavras, infelizmente nessa discussão não encontro quem concorde comigo, para todos, no palco, as dançarinas precisam ser visualmente belas. Mas enquanto isso nas aulas, todas, magras e gordas, culturalmente belas e feias, venham, venham dançar e encontrar o melhor que a dança do ventre pode oferecer: não paetês, strass e medalhinhas, mas confiança, auto-estima e vaidade (a boa, é claro).

Aqui abaixo uma gordinha famosa fazendo sua apresentação: Neguinha Moreira!

11 comentários:

Lilian Maia disse...

Eu concordo plenamente com vc, a dança do ventre transforma nosso pensamento e nossa forma de agir, muda para melhor, acho que a auto-confiança é a melhor parte disso tudo.
Bjssss

Hanna Aisha disse...

Lindo post.
Só achei esse concurso "só para gordinhas" meio caído, heim? Só reforça o preconceito, não acha?
Beijos

Celia Daniele disse...

Obrigada pelo comentário, Lilian! Eu indico a dança do ventre para qualquer mulher!

Hanna, eu realmente não acho que tenhamos que chegar ao ponto de separar um concurso de dança do ventre entre gordinhas e magrinhas, mas em São Paulo a coisa anda mto cruel com quem anda acima do peso. A própria Neguinha relatou no seu blog, que em alguns lugares o povo nem olha se a mulher dança bem, caso esteja acima do peso. Acho que essa atitude de ter um concurso "só para gordinhas" foi bem extrema, e claro, reforça o preconceito, não resolve. Creio que foi quase um clamor pela atenção às dançarinas gordinhas! Mas "peloamordedeus", espero não ver isso aqui no Rio, já vi muitas gordinhas ganhando concursos, xô xô preconceito!hehe

Carol disse...

Olá,vc e a dança do ventre acabaran de salvar a vida de mais uma ''gordinha feia''.

Tenho minha estima abaixo de lixinho do banheiro(acho o meu melhor q eu),sempre fui gordinha e por ser muito timida senti forte a rejeição das pessoas.Recomecei a fazer terapia a 2 meses e a algumas semanas, quando minha terapeuta disse que era para eu fazer dança do ventre para melhorar minha auto estima e meu complexo com o corpo achei que aquela mulher estava mais doida q eu,e ate parei de ir a terapeuta escondida dos meus pais(pois eles acharam a ideia dela boa e ja estavam procurando a escola de dança),como vi que estava inevitavel,comecei a pesquisar um pouco e encontrei esse seu belo depoimento cheio de vida autoestima e determinaçao.Com isso acho que vou dar uma chance a dança,perdoar a terapeuta e claro uma nova chance para mim.

Muito obrigada

Celia Daniele disse...

Nossa, Carol, tomara q a dança do ventre te ajude bastante para vencer essa batalha contra sua baixa autoestima. Espero que vc encontre uma ótima professora, e faça amizades no centro de danças, mas principalmente que vc se sinta motivada a se amar mais. Não tenha vergonha de ser você mesma, nem de se amar, de se achar bonita, mesmo q alguém diga o contrário. A gente reflete aos outros o q pensamos de nós mesmas, mais do q um corpo, q todos nós temos cheios de defeitos, as pessoas veem o que mostramos para elas, elas não veem além daquilo que nós permitimos passar. Mostre a elas então o como vc é maravilhosa, encantadora, inteligente, marketing é tudo, hehe.
Confie nos seus pais e na sua terapeuta, eles estão com as melhores intenções, e eu espero imensamente q vc não desista de buscar a bela mulher q existe aí escondidinha na "Carol".

Amar el Binnaz disse...

Celinha, mulé, quase vc me mata de susto!!! Que honra estar aqui no seu blog.

Eu não consegui entrar no concurso de dança do ventre para gordinhas, porque postei o vídeo depois do prazo, e apesar de eu IMPLORAR para a organizadora, ela (em sua razão, eu também odeio atrasos) não deixou que eu participasse.

Acho a iniciativa válida, principalmente no ano de 2010 quando teremos o "desserviço" dos grandes eventos de promoverem também "concursos de beleza", tornando a dança do ventre no Brasil cada vez mais excludente.

Carol, eu também tinha a auto estima muito baixa como a sua, e após uma "terapia intensiva" passei a me aceitar melhor. Mas, palavra, você pode frequentar 158425687 sessões, porém SE AMAR é uma decisão pessoal e intransferível. E quando você começar a se amar, o mundo vai amar você também. Um beijo e te espero lá no meu blog também.

Mais uma vez obrigada Celinha pela honra de estar no seu blog.

Celia Daniele disse...

Hehehe, sério, Neguinha?! A honra é toda minha de postar bailarinas da mais alta qualidade e conteudo!

Ah, realmente a dança do ventre anda muito excludente, mas há alguns dias comecei a pensar seriamente se são as próprias dançarinas que perpetuam este preconceito. Eu vou contar aqui rapidinho o que me aconteceu: fui ver minha professora dançar num restaurante árabe, ela é linda, nada gordinha, hehe, mas lá pelas tantas da performance dela, ela me chamou no meio do público para dançar com ela! OMG! Eu não estava nem um pouco preparada para dançar, levantei depois dela insistir (eu pensei que seria feio deixar a professora "no vácuo"), dei 3 passinhos básicos, fiz uma reverência a ela, e voltei pro meu lugar. No final da apresentação, estava eu esperando por ela, porque ela me daria uma carona, o dono do restaurante (!) veio falar comigo e me convidou para dançar lá! Depois conversando com a minha teacher, ela disse que ele não estava falando por "educação", mas porque tinha realmente gostado de mim. De mim, da gordinha!

Ok, não sei se vou dançar lá mesmo porque são muitas músicas e meu pique tá lá embaixo. Acho que não é legal dançar até desmaiar no chão. Mas achei muitíssimo bom um convite desses, me fez pensar que nós, gordinhas, podemos encantar com nosso talento antes de sermos um corpo, o que temos que derrotar é todo essa hipocrisia do "corpo perfeito"!

Desculpe o testamento! Bjos!

Dana disse...

Excelente artigo, mas realmente espero que um dia nós gordinhas não teremos que provar mais do que qualquer outra bailarina de estereótipo físico socialmente construído, espero sim que possamos todas ser consideradas mulheres e somente MULHERES! A dança trasnformou minha vida, hoje a dança do ventre é minha prece mais preciosa!
Parabéns pelo blog, adorei, visitarei sempre!

Grande Abraço,
Carol **Dana Charo**

Cláudia Carneiro disse...

Olá queridas leitoras deste maravilhoso blog,

Sou apenas um "Bebê" na arte da dança do ventre com a minha terceira aula até então. Pra ser sincera, comecei meio que por brincadeira, só pra participar do show de talentos do final do ano da empresa em que trabalho mas a brincadeira virou paixão.
Certo dia li em um outro blog: "O entusiasmo fanático dos iniciantes onde tudo acha a beleza" Acho que estou encaixada neste grupo...Mas se eu não achasse belo não teria razões para querer fazer as aulas, correto?
Estou adorando e devorando todo tipo de material que possa encontrar.
Beijão para todas e fiquem a vontade para visitar o meu orkut, se assim desejarem.http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=9367667116397076667&rl=t

Aninha odalisca disse...

Eu também estou a pouco tempo na dança,vai fazer 5 meses que estou tendo aulas,mais minha amor pela dança já é antigo,mais só agora estou tendo a oportunidade de fazer aula,estou amando,também faço terapia com psicóloga,pois tenho a auto estima muito baixa,já tive depressão e ainda tenho tendencias depressivas,eu tenho um corpo médio,nem sou gordinha e nem magrinha,dizem até que tenho um corpo bonito,apesar de ter ganhado uma barriguinha,que me ajuda muito nas aulas kkkkk,já estou começando a gostar de mim,as aulas estão me ajudando muito,a dança faz muito bem,pra o corpo e pra mente,a auto estima com certeza melhora muito... beijos pra vocês todas. ´´´´´´

Aninha odalisca disse...

minha professora não é gordinha,mais ela fala que tem muita gordinha que dá um banho nela,e olha que ela dança há 16 anos!!!

Related Posts with Thumbnails