terça-feira, 11 de maio de 2010

Folclore: Saidi

Eu tenho fé que um dia eu vou conseguir girar o bastão no Saidi!! Há alguma incapacidade nata que impede que meu bastão gire perpendicularmente, não sei o que há!! Mas se não fosse esse "pequeno" problema, eu com certeza seria uma das adeptas deste folclore animadíssimo, o preferido para muitas dançarinas do ventre!

O Saidi é uma dança do Alto Egito, de uma região entre Gizé e Edfu. O Saidi provavelmente surgiu como uma forma de distração dos camponeses egípcios. A marca registrada do Saidi é o bastão de bambu, o qual o dançarino, dependendo da sua habilidade, pode aparecer com dois ao mesmo tempo. O Saidi se divide em dois tipos:

Raks Assaya: Saidi feminino, é o que geralmente conhecemos com o nome de Saidi propriamente dito. A dançarina segura o bastão e realiza movimentos de equilíbrio e desenvoltura com ele, associando, evidentemente movimentos da dança do ventre.

Tahtib: Saidi masculino, comumente com dois bastões. O nome "tahtib" significa "dança com bastões", e já foi considerada uma arte marcial, como é a capoeira para nós brasileiros (uma fronteira entre a dança e a luta corporal). Segundo comentam estudiosos, o tahtib já estava presente desde a época dos faraós, algo que seria comprovado por figuras nos templos que se assemelham a esse tipo de dança (como podemos ver na figura ao lado, a arte Sebekkah). Basicamente o Tahtib traz muita energia, e o bastão tem uma conotação de masculinidade, praticamente um representante da sexualidade masculina.

Para o dançarino egípcio Ashraf Hassan, o Saidi surgiu como uma dança tipicamente masculina, e com o tempo abarcou as mulheres. Na dança feminina, o bastão foi mais "enfeitado", geralmente nem se usa só bastão, mas uma bengala de bambu ou madeira (esse também encontrado no Tahtib). O Raqs Assaya é como uma paródia do tahtib, não desmerecendo, claaaro, a versão feminina.

O ritmo base para este folclore é o Saidi, que já falamos aqui! As mulheres costumam ser graciosas, diferentemente dos homens que estão "ostentando sua masculinidade" na dança. Digo realmente "costumam", porque temos muitas variações por aí, como a própria Maíra Magno que tem um saidi bem masculino, forte, denso. Nos dois estilos, o bastão poderá ser variado de formas semelhantes: girando para frente ou para trás, segurado com ambas as mãos em linha horizontal, apoiado nos ombros verticalmente, batido no chão com força, apoiado no chão como uma "bengala", e por aí vai.

Do folclore Saidi, o que creio ser mais característico é o "saltinho". É um salto com ginga, não creio ser possível explicar, é preciso ver. Esse é o "saltinho" que identifica que você reconheceu o folclore saidi numa música clássica, independente de haver um bastão com você ou não. A graça do Saidi está reunida nesse simples passo, que não precisa ser repetido do início ao fim da música, mas que deve ser evidenciado na sua dança.

Raks Assaya com Maíra Magno:



Tahtib viril com esses egípcios:

6 comentários:

Anônimo disse...

Oi Célia,
Eu gostaria de saber se vc conhece uma música khaleeege que é +/- assim: samra, deva...samra deva... a música é super animada, se vc digitar no youtube khaleege vai aparecer um vídeo do festival de dança da ju marconato, é a música desse vídeo que eu gostaria de saber se vc sabe o nome dela, e se possível a sua tradução.
Abraços e parabéns pelo blog, aprendo muito aqui.
Flávia

Celia Daniele disse...

Olá Flávia,

O nome dessa música é "Samra". Vou tentar encontrar a tradução! Bjos!

Hanna Aisha disse...

Só uma observação: o Tufic Nabak recomenda bastante que as mulheres não dancem com dois bastões (o que me deixa triste) porque representa "guerra" e tem um significado muito masculino. Proibido não é, é recomendação.
Beijos

Maíra Magno disse...

muito grata pelo post de meu video, tenho uma bom texto sobre said se vc quiser me manda seu e mail que eu te mando

Celia Daniele disse...

Olá Maíra, que bom que gostou! Eu estava procurando o vídeo seu naquele reality show lá do Líbano, mas não encontrei mais :'(. Eu tinha achado o máximo, até porque adoro Luxor Baladna. Se puder mandar o texto, eu agradeço imensamente. É só mandar para o e-mail do blog: dancadoventrebr@gmail.com

vanessa disse...

gostaria de saber se e normal o bastao formar calo na mao pois comprei um dourado grossob e epsado na 25 de marco

Related Posts with Thumbnails