domingo, 22 de novembro de 2009

Homens na Dança do Ventre: Fim dos Tempos?

Geeeente, to passada! Andei lendo na internet as justificativas das pessoas que defendem a dança do ventre como exclusividade feminina, e me senti na obrigação de esclarecer certos equívocos que eram afirmados como a verdade encarnada!

Bem, a história da dança do ventre é mera suposição, está basicamente na mesma linha que a descoberta da agricultura pelo homem, da roda, a domestificação dos animais, nada é certo, tudo é lenda. A teoria mais aceita é que as mulheres no Egito passaram a realizar cultos em adoração à deusa da fertilidade (que não quer dizer necessariamente procriação humana, mas também a agricultura) com uma versão primitiva da dança do ventre, e descobertas pelos romanos, começaram a utilizar essa dança para fins mais eróticos, como entretenimento masculino. Sabendo ou não a verdadeira origem da dança do ventre, fato é que não temos hoje em dia a mesma dança de 5.000 anos atrás, sequer sabemos que movimentos sinuosos do ventre e do tronco eram, e se não foram adicionados após vários encontros culturais, não só pela mão dos romanos, mas de macedônios, babilônicos e por aí vai. Se há inscrições que mostram mulheres dançando, adorando a deusa da fertilidade, nada impede que homens dançassem também fora dos rituais.

Mas não importa fazer conjecturas a respeito disso, afinal o que nos importa mesmo é o elo que a dança do ventre encontrou para chegar até nós: o mundo árabe. Pensamento reducionista: os árabes dominaram o Egito e automaticamente a dança do ventre se incorporou ao mundo árabe... Não!! Novamente foi um encontro cultural. E a dança do ventre se manteve nesse meio com outra finalidade: prostituição. Não torçam o nariz ao ler estas palavras, quem dançava não era a esposa, mas as jawari, as concubinas. Nem toda mulher nascia para ser esposa, aquelas que não tinham a mesma sorte se tornavam concubinas, o que naquela época não era algo necessariamente degradante. Diferentemente das ghawaaze (que também dançavam), as jawari eram mulheres instruídas, elas deveriam entreter seu amante (elas só tinham 1 senhor) não só com a dança, mas com poesia, canto, diálogos filosóficos, e de certa forma, possuíam mais liberdade que as esposas. (Quem quiser saber mais sobre elas, leiam o livro "A sexualidade no Islã" de Abdelwahab Bouhdiba).

Mas onde entram os homens nessa história? Nos haréns, na Era de Ouro do Islã Clássico, não apenas as mulheres dançavam... Os homens também, e da mesma forma. A sua atividade não era com fins sexuais (claro que existiam exceções, vide o poeta árabe gay Abu Nuwas), mas para entretenimento. Um dançarino era tão valorizado quanto uma dançarina, e muitas vezes, nos grupos onde havia certa misoginia e conservadorismo, não havia dançarinas, apenas homens dançando.

A partir do séc. XIII do calendário cristão, começou a haver um certo declínio da produção filosófica no mundo árabe, o conservadorismo se exacerbou, as mulheres começaram a ser relegadas em segundo plano, a ponto de ignorarem sua sexualidade, e os homens... Bem, aos homens foi exigido um modelo machista que resiste até hoje, não só entre os orientais, mas entre os ocidentais também. Dança do ventre passou a ser prática de sharmuta, e homens dançarinos do ventre passaram a ser vistos como pervertidos. A dança regional abarcou o estilo masculino, e se diferenciaram claramente o que era dança masculina e o que era feminina.

Então, por que falar que homem na dança do ventre é uma afronta à arte milenar? Isso já aconteceu em outros tempos, não é novidade do séc. XXI, não é o fim dos tempos! Agora temos uma abertura na cultura que aceita a participação masculina, por que nos revoltamos com isso? Muitas das pessoas vieram me falar que a dança do ventre é uma arte da sensualidade, que um homem se insinuando na dança do ventre no mínimo é algo medonho... Ok, é estranho porque estamos sexualizando a dança do ventre! Que tal olharmos como entretenimento, da mesma forma que nos séc. IX ao XII os homens dançavam para divertir as pessoas, e não para realizar fantasias sexuais? E cá entre nós: uma mulher dançando mal é tão feito quanto um homem dançando mal, e não é o formato do corpo que impede de sair uma boa dança, é a falta de talento. Se eu defender que a dança do ventre só deve ser praticada por quem a sociedade considera "bonito" e "na moda", então fora homens, fora mulheres gordas, fora anãs, fora deficientes, fora, fora! Péssimo, não? Vamos tentar se condescendentes, e não buscar justificativas mirabolantes para impedir uma pessoa de fazer aquilo que a torna feliz!


Olha aí o dançarino egípcio Tito entretendo a plateia num "duelo" com uma mulher:

24 comentários:

Anônimo disse...

ate aceito homem dançando uma dança oriental, mas nunca com veus...fazendo camelinhos...ondulaçoes...e por ai a fora.
dança do ventre em si...foi feita para a mulher sim e somente por mulheres. faço dança a 25 anos e hoje eu vejo muitos gays querendo invadir esse pequeno espaço. A dança do ventre!
ja vi bailarinos se apresentando no mercado persa com bengala, achei lindo!
mas com veus como ja vi no youtube e num concurso no canal do sbt...achei pessimo!
coisa de viado! daqui a pouco a dança do ventre sera julgada como uma coisa vulgar.
aceito a resposta das mestras como Lulu Sabongi que diz, "clube da luluzinha sim..." e da nossa amiga que esceveu na central dança do ventre, Nastenka e mais uma que e Rhamza Alli, gente!!! acorda nao e? Sou libanesa, minha familia e libanesa e nunca iremos aceitar isso...a minha avo dançava, minha mae dança e eu e minhas irmas tb, aqui na minha familia e uma tradiçao.
bjs
Baby Sants

Celia Daniele disse...

Olá "Baby Sants", o que eu quis dizer neste post é que a dança do ventre nunca foi uma exclusividade feminina, desde que ela passou a ser um entretenimento, ela foi utilizada por homens e mulheres.

No que você diz das danças folclóricas, realmente existem as divisões de dança por gênero, também acho lindo, ótimo. Agora não acho que isso seja o "certo", e a dança do ventre tradicional com homens seja "errado".

Interessante você ser libanesa, então mais ainda compreensível que seja abjeto para você ver um homem dançando. Não quero chocar ninguém, mas eu não me importo em vê-los, desde que dancem bem.

Desde o séc. IX, a cultura árabe tendeu, em grande parte, para a misoginia, a homofobia, antes disso existiam muitos Abu Nowas por aí. Não havia uma clara proibição ou condenação, mas isso é História, espero que você conheça a história dos árabes também, muitos descendentes sequer falam árabe, outros sequer se interessam... E outra coisa interessante é você e sua família dançarem: vocês são drusos? No Líbano as famílias geralmente são bem tradicionais e fechadas, a dança do ventre como arte familiar em grande parte é relegada ao Egito.

Agora, importante observação: nunca vou agradar a todos, nunca vão concordar comigo em unanimidade. Eu sei disso, mas neste blog eu vou colocar não só o que sei, mas também o que acredito. Disso eu não vou abrir mão, não importa quantas "Lulu Sabongi" discordem de mim...

Natalia disse...

Clap, clap, clap.
Amei o post, e o linkei em meu blog com os devidos créditos, lógicamente.
É o tipo de informação que sempre vale a pena passar adiante.

Um beijo e parabéns.

Celia Daniele disse...

Obrigada Natalia! Assim que pintar a inspiração, muito mais informação sobre o mundo árabe da Era de Ouro vai ser publicada aqui! Vamos desmistificar muitos tabus, inshallah!

Rhyan disse...

Estava pesquisando um pouco de homens na Dança do Ventre, ou melhor tabus e preconceito de homens na Dança do ventre, aí me deparo com este Blog maravilhoso que muito me fortalece para uma entrevista que vai acontecer no programa da Rede Record ( tudo é possível ), sou um deles que é apaixonado e que tem como profissão a Arte de ministrar aulas e trabalhar como Perfomem.
No quadro do progama tudo é possível que será exibido no dia 21/03/2010, o tema será abordado: profissões que deram certo, que enfrentaram tabus e preconceitos, levarei meu grupo me apresentando antes e depois uma entrevista, estaremos lá profissões que enfrentam preconceitos, uma mulher de 75 anos que é halterofilista, um homem que trabalha em banco e é gerente e que nos fins de semana se transforma em Dragg Queen, casado e tem filhos e entre eles Eu Rhyan Coolligan, vou falar um pouco do meu trabalho como professor e Bailarino Profissional.
A Dança pra mim é uma exclusividade de arte e trabalho.
A quem se interessar por favor acessem meu site www.principedonilo.com.br ( clikc nas barrinhas da logo tipo)
obrigado Rhyan Coolligan

Celia Daniele disse...

Obrigada Rhyan! Achei linda a sua dança! Se puder comentar da gente no programa, ficaríamos mto felizes!
Eu estava procurando outras fontes para mostrar a quem tiver interesse, mas como esse post é antigo, não lembro de todas. Claro, primeiramente o livro do Bourdhiba e também como referência este site:
http://hubpages.com/hub/Origins-of-belly-dance
Se alguém mais ainda curiosidade, vou procurar até encontrar todas as fontes que usei para formar essa opinião! Maa salama!

Anônimo disse...

olá meu bem, meu nome é bia e sinto-me totalmente a vontade em dar uma pitada numa pequena questão que esta virando uma grande polêmica: homem na dança do ventre...
sou contra sim, sou de família egipcia e dentro de minha grande e imensa família de 14 filhos sou a única que levou adiante a dança do ventre. tenho 38 anos, sou dona de casa e tenho uma loja esotérica. amo dançar, fiz ballet classico 20 anos e faço dança do ventre desde os 8 anos de idade. tenho 11 irmãos e nenhum deles concordam com homens na dança do ventre. somos contra qualquer modernismo que venha atrapalhar os nossos costumes...ou invadir e estragar a nossa linda e maravilhosa cultura, a nossa história e tradição.
assim como o uso do véu e livre... assim como a burka é símbolo do islã...
bem diferente das coisas uteis como a internet, tel. celular...
homens no ballet, no tango,nos ritmos árabes...tudo bem. mas na dança do ventre...fala serio! claro que é para mulher somente! que é isso! acho horrível homem dançando dança do ventre! nem ventre eles tem!!!
acho péssimo esse povo que vem e fala difícil, bonito e inventa mil coisas sobre falsas pesquisas, dizendo sempre a mesma bobagem e aderindo e inventando um falso costume. não existe homem na dança do ventre e nunca existiu!
isso é modernismo gay.
gente!!! tradição é tradição, devemos mantê-la sempre. se não um dia vai ser como os dinossauros... rsrsrs em extinção!

Celia Daniele disse...

Olá Anônima egípcia! Bem, sinto muito informar que você está bem enganada. Modernismo gay?! Já ouviu falar em Abu Nowas, Koçek, os Taifas? Já leu a autora egípcia Nawal Al Saadawi, a marroquina Fatema Mernissi? Acho que você não pode falar de "falsas" pesquisas, sendo que não as conhece para julgar, a única coisa que usa para determinar se é errado ou certo são seus valores.
Sempre existiram homens na dança do ventre, goste você ou não. Caso tenha mais dúvidas, procure sobre os poetas ingleses do séc. XIX, como Lorde Byron, e veja como eles ficaram horrorizados ao ver um homem dançando no mundo árabe. Agora, você tem todo o direito de não aceitar, mas não é porque você não aceita e não vê comumente homens por aí dançando, que eles não existem, ou nunca existiram.
Essa comparação com os dinossauros ainda foi esdrúxula! Você realmente acredita que a dança do ventre, ou qualquer outra atividade cultural no mundo, pode existir sem sofrer influências, com a mesma forma há milhares de anos? Ai Jesus, dá para perceber com esse comentário que não vale a pena discutir com você, troll egípcio, que sequer mostra a identidade para apontar suas conviccções. Em respeito aos meus leitores, deixo aqui a resposta mais para eles do que para você, pois não há nada aqui nesse blog que não esteja aberto a discussões - pertinentes.

Brunno Belly Boy disse...

Eu sou professor e bailarino da dança do ventre!

As pessoas, acima de tudo, estão equivocadas com a dança. Vocês sabem o que é dançar?
A dança é a expressão da alma. Ninguém aqui está falando em prejudicar ou atacar cultura alguma.
Cada pessoa tem sua própria dança.

Sei que sempre enfrentarei o preconceito. O engraçado é que tem gente que 'não aceita'... Bem, não estou buscando a aceitação de ninguém, rs. Estou apenas dançando, me expressando.

Anônimo disse...

ai!
que coisa, estamos no século 21.
O egito esta em guerra civil, mudam presidentes, entram militares e as tradições continuam.
mas homem (digo HOMEM, com cheiro de homem)de verdade na dança do ventre, só para assistir uma mulher dançando. Porque fazer dança do ventre...me desculpa, nenhum homem faz, só gays. Nem adianta esse povinho vim com esse papo de estar se "expressando".
Voce pediu opinião e eu estou dando.
Esses caras até inventam que temos inveja deles.
Eles é que morrem de inveja da gente, da mulher.
Temos vagina, eles fabricam uma em um cirurgião.
Andamos de salto alto, e eles tambem estão andando.
casamos de noiva e eles tambem estao gritando na justiça pra igreja aceitar o casamento entre homosexuais.
sou mulçumana e entre a gente nunca vai existir isso.
Deus fez o homem para mulher e a mulher para o homem e tudo numa perfeição tão linda que encaixa direitinho. Concavo e convexo.
até gravidez eles querem fazer em laboratorio.
o final dos tempos esta aí.
querem quebrar uma tradiçaõ e muita gente esta apoiando essa nojeira.
A dança é uma forma linda de expressão, mas cada um na sua dança.
acho que esse tipo de erro da natureza nunca vai entender que o homem é homem e a mulher é a mulher.
a dança do ventre não foi criada para o homem, mas para a mulher...
eram as mulheres que dançavam para a deusa...
gente! até nos filmes mostram que somente mulheres dançam.
mas infelizmente algumas pessoas adoram discutir isso porque querem destruir uma tradição milenar.
tudo bem querida, não vou mais te incomodar, visitei seu blog, gostei e deixei minha opinião.
enviei o tal email falando de minha prof. nastenka e de sua historia.
mas foi vc mesma quem pediu informaçãoes sobre ela.
tudo bem, beijos
ان الله يغفر لنا! وهذه رحمه
مثليون جنسيا الذين يدمرون العالم.

Anônimo disse...

umpeno meu pais "Diz-se que o corpo de bailarina de dança do ventre é sagrado durante a dança, pois se divide, neste momento em 3 partes distintas – mulher, espírito e serpente – não devendo ser tocado."
querida, acho interessante seu interesse pela cultura árabe, mas no líbano a dança é objeto de interesse sim, de muitas mulheres.
procure saber mais sobre a cantora pop Nancy Ajram, ela quebrou muitas tradições. tanto que ela poe ritmos maravilhosos dentro de sua música e seus shows.ela é uma graça.
como eu dizia , minha familia adora dançar, minha casa esta sempre em festa. somos 8 irmão aqui, fora quando se junta tios e tias, primos e avós, parte de meu pai ainda esta no egito, da minha mãe no líbano, tenho 45 anos e vim para o brasil ainda menina. moramos no rio até 1988, em 1995 saimos do espirito santo onde conheci a nastenka, fomos morar em bh e resolvemos fixar negocios aqui. hoje moramos na comunidade arabe em bh. conhece a vila arabe? tem muita coisa boa aqui na vila árabe, desde restaurantes e lojas e hoteis.(pousadas)
outra coisa, falamos árabe sim, ensinamos árabe sim, tambem falamos hebraico, ingles e outras linguas.
fora os famosos dialetos.
nossa tradição ensina tudo o que devemos aprender.
minha familia mora no brasil a 30 anos.
gostamos muito daqui.
minha tia ajudou muito a equipe da gloria peres em suas pesquisas da novela o clone.
outra coisa, os drusos são árabes, são ótimas gente, são os melhores anfitriões.
sabe, os drusos são árabes, mas os seus pensamentos e tradições são bem diferentes do povo árabe.
bem...seja feliz em suas pesquisas.
mas deixem os outros falarem o que acharem certo, darem suas opiniões, ou então vc não deixa em aberto. sempre respeitanto o que dizem.não tenho culpa de ter dado a minha opinião no que eu acho mais do que certo. não aceito homem na dança do ventre e voce já aceita.
mas falar de escritoras do mundo egípcio como se isso fosse mudar minha opinião? é o mesmo que tentar tirar o véu de minha cabeça?!
voces vivem aqui, no brasil onde tudo é lindo e maravilhoso...onde homens se beijam na boca e de lingua perante crianças...onde a tv mostra sexo entre homosexuais(malhação e novela da rede globo)onde pedófilos invandem nossas casas na net e depois entram dentro de nossas casas...usando a inocencia de crianças em sala de bate papo, onde até políticos abusam de menores( de 4, 5 e 8 anos) onde padres se calam perante tanta sujeira. podem chamarem do que quiserem mas, querer manter uma tradição e pessoas de fora querer quebrá-las é preconceito, então sou terrivelmente preconceituosa.
continue lendo muito, aproveite e leia os livros desse autor que fala de bailarinas e dançarinas...mas nunca de homens dançando com véus ou rebolando feito serpente rsrsrs: poema "A Dançarina", de KHALIL GIBRAN, leia tambem o livro inteiro "O viajante".
mas seria muito bom voce ler todos e principalmente escritores arabes, egipcios, indianos...gregos...rsrsrs
baby sants salin

Anônimo disse...

na minha família e muitos amigos da comunidade acaham muita graça da maneira como voces gostam de criticar ou falar,mas no meu pais "Diz-se que o corpo de bailarina de dança do ventre é sagrado durante a dança, pois se divide, neste momento em 3 partes distintas – mulher, espírito e serpente – não devendo ser tocado."
querida, acho interessante seu interesse pela cultura árabe, mas no líbano a dança é objeto de interesse sim, de muitas mulheres.
procure saber mais sobre a cantora pop Nancy Ajram, ela quebrou muitas tradições. tanto que ela poe ritmos maravilhosos dentro de sua música e seus shows.ela é uma graça.
como eu dizia , minha familia adora dançar, minha casa esta sempre em festa. somos 8 irmão aqui, fora quando se junta tios e tias, primos e avós, parte de meu pai ainda esta no egito, da minha mãe no líbano, tenho 45 anos e vim para o brasil ainda menina. moramos no rio até 1988, em 1995 saimos do espirito santo onde conheci a nastenka, fomos morar em bh e resolvemos fixar negocios aqui. hoje moramos na comunidade arabe em bh. conhece a vila arabe? tem muita coisa boa aqui na vila árabe, desde restaurantes e lojas e hoteis.(pousadas)
outra coisa, falamos árabe sim, ensinamos árabe sim, tambem falamos hebraico, ingles e outras linguas.
fora os famosos dialetos.
nossa tradição ensina tudo o que devemos aprender.
minha familia mora no brasil a 30 anos.
gostamos muito daqui.
minha tia ajudou muito a equipe da gloria peres em suas pesquisas da novela o clone.
outra coisa, os drusos são árabes, são ótimas gente, são os melhores anfitriões.
sabe, os drusos são árabes, mas os seus pensamentos e tradições são bem diferentes do povo árabe.
bem...seja feliz em suas pesquisas.
mas deixem os outros falarem o que acharem certo, darem suas opiniões, ou então vc não deixa em aberto. sempre respeitanto o que dizem.não tenho culpa de ter dado a minha opinião no que eu acho mais do que certo. não aceito homem na dança do ventre e voce já aceita.
mas falar de escritoras do mundo egípcio como se isso fosse mudar minha opinião? é o mesmo que tentar tirar o véu de minha cabeça?!
voces vivem aqui, no brasil onde tudo é lindo e maravilhoso...onde homens se beijam na boca e de lingua perante crianças...onde a tv mostra sexo entre homosexuais(malhação e novela da rede globo)onde pedófilos invandem nossas casas na net e depois entram dentro de nossas casas...usando a inocencia de crianças em sala de bate papo, onde até políticos abusam de menores( de 4, 5 e 8 anos) onde padres se calam perante tanta sujeira. podem chamarem do que quiserem mas, querer manter uma tradição e pessoas de fora querer quebrá-las é preconceito, então sou terrivelmente preconceituosa.
continue lendo muito, aproveite e leia os livros desse autor que fala de bailarinas e dançarinas...mas nunca de homens dançando com véus ou rebolando feito serpente rsrsrs: poema "A Dançarina", de KHALIL GIBRAN, leia tambem o livro inteiro "O viajante".
mas seria muito bom voce ler todos e principalmente escritores arabes, egipcios, indianos...gregos...rsrsrs
baby sants salin

Celia Daniele disse...

انا برازيلية لكن عيندي قلب عربي و امن بعملي بالتاريخ هو جيد لكل الناس الذي يرقصون الرقص الشرق

Celia Daniele disse...

Minha resposta para vocês: http://www.dancadoventrebrasil.com/2011/02/homossexualidade-e-danca-do-ventre.html

Anônimo disse...

Essa criatura aí se odeia e recrimina tanto o Brasil q q ta fazendo aquii?
Lia

Valeria disse...

Independente do que esses dançarinos façam na cama (que não é da conta de ninguém), muitos dançam bem e como tal devem ser respeitados. Agora, se houve de fato dançarinos "do ventre" no passado distante, a verdade é que de algumas centenas de anos para cá, geralmente não são aceitos e, desse ponto de vista, não posso deixar de considerar o trabalho desses dançarinos uma variante moderna de dança do ventre, algo como, por exemplo, a tribal belly dance. Não deixa de ter seu valor, mas daí a dizer que é dança do ventre PROPRIAMENTE DITA há uma grande diferença...

Anônimo disse...

Rindo muito aqui, com a mulher que disse que homem não tem ventre.

E tanta ignorancia, que fica dificil.

Felipe

Geneviéve disse...

Rindo? E homem tem um ventre? Tem útero, trompas? Acho que não... Homens e mulheres tem abdomem, barriga, mulher tem o ventre, aquele para o qual, independente das mil origens incertas dadas à ela, esta dança foi criada. Admito, admiro alguns homens que também a dançam de forma exímia, porém admiro mais mestres como o Gamal seif, que dança em sala de aula para nos ensinar, e só. Quando dança no palco, dança da forma mais bela qe um homem poderia fazer: Demonstrando a beleza do corpo masculino e da energia masculina, deixando para as mulheres, naturalmente feminina, a arte da dança do ventre... E Gente, esse homem de mais de 40 anos dançando no palco é simplesmente maravilhoso em toda a sua masculinidade... Acho que aí está a beleza da arte oriental quanto ocidental, a união dessas polaridades, representada de forma sublime através da dança.

Um homem pode dançar a dança do ventre? Pode, podemos fazer qualquer coisa que desejarmos... Mas... a arte e a beleza dessa dança.. é da mulher.. na minha opinião..

Samara Alves disse...

lamentável usar o homossexualismo de argumento para uma dança que pode sim ser praticada por ambos os sexos, independente de suas orientações sexuais!
Se fosse assim, a corte francesa até hoje estaria horrorizada por mulheres terem incadido o balé da corte...

Samir Abut é casado, hetero e com filhos. não se pode generalizar em nada nesse mundo.

E o Aurélio diz:

s.m. Parte do corpo onde estão alojados o estômago, o intestino, o fígado, o pâncreas, a bexiga etc.; abdome, barriga. / O útero: ventre materno. / Fig. Parte central; âmago: ventre da terra. / Anatomia. Parte média e mais ou menos volumosa de certos músculos. / Física. Num sistema de ondas estacionárias, ponto de alongamento máximo. // Prisão de ventre, dificuldade na defecação; constipação intestinal. // Soltura de ventre, diarréia.

Brunabrites disse...

Olá me chamo Bruna e faço dança do ventre ha algum tempo, e acho esse assunto realmente muito complicado...
Consigo entender os dois lados... Entendo quando dizem "homem não tem ventre", não querem dizer fisiologicamente pois homem e mulher possuem ventre,como postou a amiga ai acima... mas dizem isso no sentido de que homem não pode gerar... Acho os movimentos da dança do ventre femininos mas não acho q isso deva impedir um homem que goste de faze-lo.Tenho muitos amigos que dançam é lindo e diferente... no começo é ate mesmo estranho, confesso... mas acho q devemos fazer aquilo que amamos. So acho legal evitar um escadalo, até mesmo em respeito da cultura alheia. ja vi muitos homemes dançando e achei bonito, mas tambem ja vi homens denegrindo e escandalizando a imagem da dança do ventre... Porém isso deve ir da consciencia de cada bailarino. A unica coisa que EU não gosto muito, é quando eles usam roupas femininas, acho desnecessario.
"Devemos fazer aquilo que nos faz feliz! Devemos dançar com nossas almas, não importa o ritmo."
Bruna Brites

Ana Paula Silva disse...

Permitam-me entrar no debate. Este assunto dá pano pra manga mesmo.
Eu pergunto: Por que não aplaudir a arte pura e simplesmente, livre de preconceitos?

Não estou fazendo propaganda mas aconselho ouvirem o podcast do sala de dança que nesta semana tratou deste assunto com um debate muito interessante, participação de Lulu From Brasil.
http://www.saladedanca.com.br/

Larissa Domingos disse...

Sempre pensei nesse assunto com preconceito, mas depois que li o post e vi o vídeo entendi que homem dançando também pode ser lindo!! Acho que o que faz a gnt entender a dança do ventre como algo feminino eh a sexualizacao que vemos nela. Nós vemos um quadril balançamos e só conseguimos pensar em sexo, sexo, sexo e no máximo, quando tentmos não pensar em sexo pensamos em gravidez (q precisa de sexo pra acontecer). A gente não consegue se forcar na beleza da dança, dos movimentos, da habilidade do bailarino. Depois de hoje eu prometo enxergar a dança mais pelo seu teor artístico e bem menos pelo teor sexual

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto! ��

Joao Marinho disse...

Muito belo e oportuno o artigo... E curioso o que as pessoas usam para justificar preconceito. "Hoje, homens usam salto alto?". Esperam que saibam que o salto alto foi amplamente usado e criado, em sua versão moderna, para homens, especificamente Luís XIV que era baixinho. Depois, a corte francesa de Luís XV o adotou à exaustão, a ponto de até hoje indicar um tipo de salto.

Related Posts with Thumbnails